PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Mozart minimiza críticas e hashtag por sua saída: "Nem sei o que significa"

Mozart chegou ao oitavo jogo sem vitória no Cruzeiro - Bruno Haddad/Cruzeiro
Mozart chegou ao oitavo jogo sem vitória no Cruzeiro Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/07/2021 19h23

Classificação e Jogos

Oito jogos sem vencer. Dos últimos seis, gols em apenas uma partida. Time na zona do rebaixamento. A fase do Cruzeiro na Série B é bem adversa, mas, mesmo após o empate por 0 a 0 com o Vila Nova neste sábado (24), o técnico Mozart mantém a confiança em seu trabalho.

Mais do que isso, o treinador espera que as críticas fortaleçam o seu trabalho à frente da Raposa. Nem mesmo a hashtag da torcida, já pedindo sua saída nas redes sociais, parece abalar, por ora, a confiança de Mozart.

"Estou aqui há dois meses e acho que a crítica é normal e natural. A insatisfação da torcida é normal, também estamos assim. Na minha opinião, poderíamos ter pelo menos seis pontos a mais. Com relação a hashtag, nem sei o que significa. Rede social não é minha praia. Não tenho para não perder o foco no que é importante, que é o que prego desde o primeiro dia. É esse caminho que vai nos tirar da situação incômoda. Ao menos, é o que acredito", disse.

O comandante também não gostou muito quanto foi questionado sobre a falta de repertório ofensivo da Raposa. Mozart avaliou que a equipe foi produtiva e esbarrou nas falhas na hora de concluir ao gol.

"Discordo da pergunta. Uma equipe que cria cinco chances claras não é por falta de repertório. Claro que entramos com a bola direta algumas vezes, por diversos fatores. Tínhamos um jogador de referência justamente pelo campo não ajudar. Em um jogo, dificilmente você criar mais de cinco chances. Não conseguimos ser efetivos na hora de finalizar. É difícil vir aqui falar que os jogadores se entregaram, defenderam, competiram. É um momento que a bola não está entrando, e pretendemos reverter isso", concluiu.

Outros pontos da coletiva

Marcinho no banco

É um efetivo do clube e um jogador importante para nós. Fizemos um desenho diferente, com um desenho que mais se adequa ao elenco que nós temos. Ele recebeu um amarelo no banco e acabamos optando por não utilizá-lo. E, quem entrou tem que ser exaltado, entrou muito bem. Não queria correr o risco de perder um jogador pelo segundo amarelo. Simplesmente isso

Marcelo Moreno de fora

Por um problema pessoal, ele foi liberado para resolver esse problema.

Utilização de Thiago

Ele está em fase final de formação e não pode ficar um período longo sem jogar. Por isso, ele ganhou minutagem. E foi produtivo, pois fez gol no sub-20 e nos ajudou muito hoje. Isso é um processo natural do jogador de futebol.

Trabalho ruim

Me frustram os resultados negativos, de seis empates e duas derrotas. As críticas menos, pois estou em um grande clube, passível de elogias e críticas normais na minha profissão. Me fortaleço e isso me dá motivação. Acredito na nossa recuperação. Fica um gosto amargo do empate pelo que produzimos. É um clichê, mas o futebol é assim mesmo. Tenho que continuar cobrando e os jogadores tentando. Só nós podemos reverter, A crítica é natural e, como ex-atleta, vive bons e nem tão bons momentos. Temos que buscar força lá de dentro para sair desse momento difícil.

Cruzeiro