PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Boca Jrs. diz que foi vítima de 'falhas inexplicáveis' contra o Atlético-MG

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/07/2021 15h17

O Boca Juniors emitiu uma nota oficial sobre a eliminação na Libertadores 2021 contra o Atlético-MG. Após uma grande confusão nos vestiários do Mineirão, o time argentino se pronunciou e disse que foi vítima de duas 'falhas inexplicáveis', devido à anulação de gols no jogo de ida e de volta.

"O ocorrido marca um acontecimento inédito, pois é o único caso em que ao vencer os dois jogos da série um clube é eliminado da competição. Situações como as vividas nos últimos dias revelam a gestão tendenciosa do nosso futebol continental", dizia parte da nota.

Os lances citados foram os gols de Diego González em ambas as partidas. Nas duas vezes, o árbitro de vídeo interferiu e optou por não validar o gol em nenhuma das ocasiões.

Por fim, o time argentino disparou contra o Atlético-MG, que venceu nos pênaltis, dando detalhes do que teria ocasionado a confusão generalizada no final da partida.

"Também não podemos esquecer que da mais alta autoridade do Clube Atlético Mineiro disparou com expressões violentas e ameaçadoras durante vários dias até chegar aos infelizes acontecimentos em que sofreram danos físicos os nossos jogadores, comissão técnica e dirigentes, que tiveram de ser atrasado por mais de 12 horas em situações infelizes para não quebrar a bolha da saúde."

Veja a nota na integra:

O Club Atlético Boca Juniors, instituição com 116 anos de história, sofreu duas inexplicáveis derrotas frente ao Atlético Mineiro nesta série da Copa Libertadores, anulando gols legais que destruíram o espírito esportivo do torneio de maior prestígio do continente.

Hoje, nossos parceiros, fãs, jogadores e equipe técnica foram prejudicados de forma maliciosa, interpretando a tecnologia VAR de forma maliciosa e intencional.

O ocorrido marca um acontecimento inédito, pois é o único caso em que ao vencer os dois jogos da série um clube é eliminado da competição.

Situações como as vividas nos últimos dias revelam a gestão tendenciosa do nosso futebol continental.

Também não podemos esquecer que da mais alta autoridade do Clube Atlético Mineiro disparou com expressões violentas e ameaçadoras durante vários dias até chegar aos infelizes acontecimentos em que sofreram danos físicos os nossos jogadores, comissão técnica e dirigentes, que tiveram de ser atrasado por mais de 12 horas em situações infelizes para não quebrar a bolha da saúde.

Mais uma vez fomos prejudicados por decisões que pouco têm a ver com o esporte e muito com a gestão arbitrária de uma competição que não o merece.

Futebol