PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Náutico se impõe em São Januário, mas Vasco busca o empate nos acréscimos

Vasco x Náutico, em São Januário, pela Série B do Brasileiro - DHAVID NORMANDO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Vasco x Náutico, em São Januário, pela Série B do Brasileiro Imagem: DHAVID NORMANDO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/07/2021 18h00

Classificação e Jogos

O Náutico fazia um jogo tranquilo e dominava o Vasco em São Januário, até que o time da casa reagiu buscou o empate por 1 a 1 aos 46 minutos do segundo tempo, com o gol de Morato. Vinicius anotou o tento dos visitantes, aos 31 do primeiro tempo, na partida da 12ª rodada da Série B, na tarde deste domingo (18).

A vitória mantém a liderança e a invencibilidade e deixa o Timbu com 26 pontos, com dois de vantagem para o Coritiba, que é segundo colocado na tabela. Já o Gigante da Colina segue sem frequentar o G4 e sobe uma posição, ficando no sétimo lugar, com 18 pontos ganhos.

Ambas as equipes voltam a campo nesta quarta-feira (21), às 21h30, pela 13ª rodada da Série B. Enquanto o Cruz-maltino visita o CSA no Rei Pelé, o Alvirrubro recebe o Brasil de Pelotas nos Aflitos.

Imposição de líder

O Náutico mostrou sua força durante a primeira etapa. O Vasco chegou a frequentar mais o campo de ataque no inicio de jogo, mas os visitantes não tomaram sustos e souberam controlar o jogo. A equipe levou perigo tanto nas bolas aéreas, por onde conquistou o gol, quanto nos chutes de fora da área.

Todos os jogadores do Timbu pareciam estar ligados na velocidade máxima e não deixaram o Vasco respirar. Além disso, os pernambucanos não ficavam com passes improdutivos no meio-campo e, sempre que tinham a bola, trabalham com a meta de levar perigo para Vanderlei.

Após o intervalo, naturalmente, o clube carioca se expôs mais na tentativa de igualar o marcador. No entanto, encontrou um rival bem postado na defesa e não conseguiu superar a marcação, exigindo muito pouco do goleiro Alex Alves. Contudo, já aos 46 da segunda etapa, Arthur Sales encontrou Morato livre após passe de calcanhar e o atacante bateu firme para deixar tudo igual em São Januário.

Bombardeiro aéreo e de longe

Depois de controlar o ânimo do time carioca, o Náutico dominou completamente a primeira etapa. Jean Carlos fez linda cobrança de falta pela esquerda, porém Carlão errou a cabeçada e ainda tirou Kieza, que chegava com tudo para cabecear a bola ao gol. Seis minutos mais tarde, Jean Carlos cobrou escanteio da direita e Vinicius subiu antes da primeira trave para desviar e fazer a bola morrer no fundo da rede.

A pressão do Timbu também contava com chutes de fora da área. Jean Carlos acertou um tiro aos 33 e contou com o quique da bola para dificultar a vida de Vanderlei, que jogou para escanteio. Rhaldney, aos 38, e Matheus Trindade, aos 39, também levaram perigo arriscando de longe.

Na direita

Principalmente no começo do jogo, Gabriel Pec caiu pelo setor direito e, buscou muito o jogo com Cano, conseguindo criar as melhores jogadas para o time da casa. O camisa 14 ainda balançou as redes aos 16 minutos, mas Pec estava em impedimento antes de rolar a bola.

Jogo falado e simulado

Os primeiros 45 minutos foram bem disputados, sem entradas duras. No entanto, o árbitro Ramon Abatti Abel sofreu com as reclamações dos jogadores e, principalmente, do técnico Hélio dos Anjos. O comandante do Timbu estava agitado e foi advertido com o cartão amarelo aos 20 minutos. Ele ainda tentou argumentou que estava falando apenas com seus comandados, mas não adiantou.

O juiz também precisou mostrar o amarelo para Gabriel Pec. O meia invadiu a área com a bola e tentou trazer para a perna esquerda. No entanto, ao perceber o contado do adversário, mergulhou no chão como se fosse uma piscina. A tentativa de cavar a penalidade não teve sucesso.

Trocas ajudam, mas não resolvem

Juninho e Léo Jabá ganharam as vagas de Galarza e MT no vestiário. A tentativa de colocar do técnico Marcelo Cabo, de colocar a equipe mais frente, até deu certo. Jabá, com apenas seis minutos em campo, entrou com a bola dominada, contudo bateu à esquerda da meta.

Assim como na primeira etapa, depois de um início melhor, o Vasco foi sendo envolvido pelo Náutico. O lance mais perigoso aconteceu quando Carlão cortou mal e acertou a trave do próprio gol, aos 37. A queda física e a vantagem no marcador também fizeram com que os visitantes esperassem mais o adversário para garantir os três pontos.

Cartões travam o jogo; Arthur Sales destrava

Do meio para o final do segundo tempo, o Alvirrubro exagerou das faltas e foi punido com cartões amarelos. Djavan recebeu um com apenas dois minutos em campo. Carlão e Vinicius também foram advertidos na reta final do confronto.

A partida se encaminhava para o final até que aos 46 minutos, Arthur Sales deu um lindo passe de calcanhar para Morato. O atacante não desperdiçou a bela jogada e completou com um chute forte de pé direito para empatar o confronto e garantir um ponto ao Gigante da Colina.

Vanderlei se salva

O goleiro vascaíno, apesar do revés, foi um dos grandes nomes da partida. Soube espalmar bem as finalizações sendo a cabeçada de Camutanga, a melhor delas. O zagueiro subiu de cabeça aos 16 do segundo tempo e obrigou o arqueiro a trabalhar muito.

Ficha técnica

VASCO 1 x 1 NÁUTICO

Data: 18/07/2021

Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ);

Hora: 16h (de Brasília);

Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC);

Auxiliares: Alex dos Santos (SC) e Éder Alexandre (SC).

Gols: Vinícius, aos 31' do primeiro tempo para o Náutico; Morato, aos 46' do segundo tempo para o Vasco;

Cartões amarelos: Gabriel Pec, Léo Matos, Morato (VAS); Rhaldney, Hélio dos Anjos, Matheus Trindade, Djavan, Carlão, Vinicius (NAU).

Vasco: Vanderlei; Léo Matos (Riquelme), Ernando, Leandro Castán e Zeca; Andrey, Galarza (Juninho), MT (Léo Jabá) e Marquinhos Gabriel (Arthur Sales); Gabriel Pec (Morato) e Cano. Técnico: Marcelo Cabo.

Náutico: Alex Alves; Bryan, Camutanga, Carlão e Rafinha; Rhaldney (Djavan), Matheus Trindade (Iago Dias), Marciel (Luiz Henrique) e Jean Carlos; Vinicius, e Kieza (Paiva). Técnico: Hélio dos Anjos.

Futebol