PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Por causa do cabelo, jogador é vítima de racismo em transmissão da Série B

Celsinho, do Londrina, vítima de racismo por causa do estilo de cabelo Black Power - Reprodução/Instagram
Celsinho, do Londrina, vítima de racismo por causa do estilo de cabelo Black Power Imagem: Reprodução/Instagram

Renato Brandão

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/07/2021 12h15

Classificação e Jogos

Um novo caso de racismo no futebol do Brasil, país com a maior população negra fora do continente africano, teve repercussão neste final de semana. A vítima desta vez foi o meia Celsinho, do Londrina, alvo de comentários racistas feitos pelo narrador Romes Xavier e pelo comentarista Vinícius Silva, da Rádio Bandeirantes Goiânia, que transmitiam a partida entre a equipe paranaense e o Goiás ontem (17), no estádio da Serrinha, pela Série B.

O episódio ocorreu aos 22 minutos do primeiro tempo, pouco depois de Celsinho ter recebido uma pancada no tornozelo esquerdo e ficado caído no gramado. Então o narrador Romes Xavier disse que o atleta londrinense teve dificuldades para se levantar porque seu cabelo devia "pesar demais". Na sequência, o comentarista Vinícius Silva afirmou que o cabelo do atleta parecia "mais uma bandeira de feijão" do que um "verdadeiro cabelo". "Não é porque eu estou perdendo os cabelos que eu vou achar um negócio imundo desse bonito".

Assim que começaram a circular vídeos mostrando as falas racistas, o assunto viralizou nas redes sociais. Por meio de seus perfis oficiais, o Londrina repudiou a atitude dos dois profissionais da Rádio Bandeirantes Goiânia.

"Racismo não! O Londrina vem a público manifestar o seu profundo repúdio quanto ao ato de racismo praticado pelo narrador Romes Xavier e o comentarista Vinicius Silva, da Rádio Bandeirantes de Goiânia, em face do meia Celsinho, na transmissão da partida contra o Goiás", escreveu o perfil do clube.

O Vasco da Gama também usou suas contas oficiais para se manifestar em solidariedade ao jogador. "Inadmissível! Racismo é crime e não deve ser tolerado! Repudiamos qualquer ato racista desde o início de nossa história e seguimos lutando por isso! Muita força ao Celsinho. Estamos juntos diariamente nessa luta!", escreveu o perfil do time carioca.

Em seu perfil no Instagram, Celsinho republicou as mensagens de apoio que recebeu após o ataque, mas ainda não se pronunciou sobre o caso.

Cultura e estética

O penteado black power é um símbolo de identidade sobretudo em culturas africanas. Durante a época de comércio transatlântico de escravos, mercadores faziam questão de raspar os cabelos de negros escravizados como forma de eliminar suas raízes.

A partir da década de 1960, principalmente nos Estados Unidos, mas também em outras partes do Ocidente, como no Brasil, o estilo de cabelo tornou-se uma expressão de resistência e de reafirmação da identidade, da liberdade e do orgulho de ser negro.

Retratação

Após a repercussão negativa, narrador e comentarista vieram a público para se retratar. "Peço desculpas ao Celsinho e ao Londrina Esporte Clube pelo comentário infeliz na transmissão sobre o cabelo do meia. Colocações erradas que jamais deveriam ter sido ditas", escreveu Romes Xavier, citando a si mesmo como uma pessoa crítica "sobre condutas como essa".

"Quero me retratar dizendo que foi um comentário equivocado. Durante a transmissão a gente acabou tendo esse erro. Um comentário infeliz, estou arrependido", afirmou Silva, que ao mesmo tempo negou a carga racial da fala. "Não foi este o cunho que fizemos na hora da questão", alegou.

Na tarde de hoje (18), a direção do Feras do Esporte, equipe esportiva parceira das transmissões da Rádio Bandeirantes Goiânia, comunicou que Xavier e Silva foram afastados de suas funções profissionais e também pediu desculpas a Celsinho e ao Londrina.

Futebol