PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Brusque vira na segunda etapa e aumenta série negativa do Botafogo

Brusque x Botafogo, pela Série B do Brasileiro 2021 - LUCAS GABRIEL/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Brusque x Botafogo, pela Série B do Brasileiro 2021 Imagem: LUCAS GABRIEL/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/07/2021 20h59

Classificação e Jogos

A vontade de vencer foi premiada na noite deste sábado (17). Em um confronto cheio de erros de passe, o Brusque foi mais agressivo na segunda etapa e conseguiu a virada sobre o Botafogo, vencendo a partida por 2 a 1 no estádio Augusto Bauer, pela 12ª rodada da Série B.

O confronto foi equilibrado até na hora de marcar os gols: os times empataram, com os dois balançando as redes em marcas de 28 minutos. Diego Gonçalves anotou para os visitantes no primeiro tempo e Thiago Alagoano empatou após o intervalo. Contudo, o time da casa buscou mais o ataque no segundo tempo e conseguiu a virada com Edu, aos 42 minutos da segunda etapa.

Com o tropeço, o Fogão chega ao quarto jogo seguido sem vitória e fica com 13 pontos, caindo para a 13ª colocação. Por outro lado, os catarinenses se reabilitam da série de três derrotas seguidas e chegam aos 16 pontos, pulando para o 10º lugar.

As duas equipes voltam a campo pela 13ª rodada do torneio. O Glorioso volta a campo já nesta terça-feira (20), às 19h, quando recebe o Goiás no Engenhão. Já o Quadricolor entra em campo na quarta (21), às 16h, quando visita o Vila Nova-GO, no OBA.

Travado

Com poucas jogadas trabalhadas, até pelo falto do gramado ser bem ruim, Brusque e Botafogo fizeram uma partida muito travada e embolada no Augusto Bauer. O início foi equilibrado, mas o Fogão conseguiu encaixar melhor no meio da primeira etapa e logo premiado com o gol.

Faltava muita criatividade ao meio-campo dos catarinenses. Com a vantagem no placar, o Bota ficou um pouco mais recuado e não foi ameaçado pelo time da casa. Pelo contrário, explorou as falhas da defesa e passou a ser mais perigoso ainda no primeiro tempo. A dificuldade técnica das equipes foi refletiva no alto número de passes errados: 79 ao todo, 36 do Brusque e 43 do Botafogo.

Já no intervalo, o técnico interino Ricardo Resende deu a entender que ficaria satisfeito em se defender com a saída de Marco Antônio para a entrada de Rikson.

Uma falta muda tudo

Assim foram os primeiros 23 minutos da partida. Thiago Alagoano teve uma boa chance em uma cabeçada aos 10, mas foi só. Os visitantes buscavam se adaptar as condições do campo e ofereceram mais a bola ao Quadricolor.

Porém, na primeira boa jogada do clube carioca, Marco Antônio colocou a bola na frente e foi parado por Iansen perto da área. O zagueiro do Brusque levou o cartão amarelo e se machucou na jogada, tendo que ser substituído por Claudinho.

Se a cobrança de falta gerou apenas um escanteio, o tiro de canto teve mais sucesso. Rafael Navarro cabeceou em cima da zaga, mas estava atento e bateu firme na sobra. No meio do caminho, Diego Gonçalves desviou de letra e a bola só parou no fundo da rede.

Com o placar a seu favor, o Bota dominou o restante da primeira etapa. A equipe soube explorar os erros do rival e Chay lançou para Diego Gonçalves aos 36, que ficou na cara do goleiro, mas bateu em cima de Zé Carlos. Pedro Castro, aos 41, ainda teve outra boa oportunidade em cobrança de falta.

Confusão nas saídas para o vestiário

Nos acréscimos da primeira etapa, Garcez escorregou ao dominar uma bola perto da linha latera, na altura do meio-campo. Marco Antônio chegou no carrinho e tocou a bola para a lateral. Houve um choque, normal, entre os dois na sequência, mas o árbitro Ivan da Silva Guimarães Junior interpretou que Garcez teria feito uma falta ao cair no jogador botafoguense, que saiu no intervalo, gerando revolta nos atletas do Brusque.

Além de amarelar o meia dos mandantes, o juiz ainda deu falta para o clube carioca, sendo que no momento do choque a bola já havia saído pela lateral. Os protestos continuaram até o intervalo.

No final da partida, um tumulto ainda maior. Os atletas do Botafogo acreditaram que os jogadores do Brusque, principalmente João Carlos, estavam provocando após a vitória e geraram novo tumulto.

No atacado

Jerson Testoni esperou 10 minutos de bola rolando após o intervalo para promover três mudanças de uma só vez no Brusque. Tentando mudar o cenário que se mantinha idêntico ao do primeiro tempo, Toty, Gabriel Taliari (que poucos minutos depois se machucou e precisou sair de campo) e Diego Mathias ficaram com as vagas de João Carlos, Rodolfo Potiguar e Garcez, respectivamente.

As trocas deram certo e o clube catarinense passou a frequentar mais a área adversária. Edu teve grande chance de cabeça aos 16, mas parou nas mãos de Diego Loureiro. Mas equipe continuou apostando na bola aérea e foi premiada aos 28 minutos. Airton encontrou novamente Edu na área e o atacante cabeceou, desta vez, na trave. No rebote, Thiago Alagoano foi mais rápido e deixou tudo igual.

Edu tenta até conseguir

O centroavante do Brusque chegou ao seu nono gol no torneio, se isolando ainda mais na artilharia. O jogador chegou a ficar nove meses sem atuar até o início do torneio, mas parece estar determinado a recuperar todo o tempo perdido.

Aos 36, ele perdeu uma grande chance, após ver a bola sobrar em seu pé. Em seguida, aos 42, aproveitou o belo passe de Alagoano, que tinha recebido de costas, para pegar de primeira e bater cruzado para o gol.

Alagoano ainda perdeu uma chance clara aos 48, dentro da pequena área. A bola sobrou sozinha para o meio-campista do Brusque que acabou sendo enganado pelo quique da bola e tocou para fora.

Perdeu a força?

Rafael Moura, o He-Man, tinha só 10 minutos em campo quando perdeu uma chance incrível. Quando a partida ainda estava 1 a 0, aos 25 minutos, Chay cruzou da esquerda e encontrou o centroavante sozinho dentro da área. Mesmo com tempo e sem precisar saltar, o atacante cabeceou sem tirar do goleiro Zé Carlos, que se esticou todo para espalmar a bola. He-Man ainda tocou para Warley no rebote, mas o meia bateu mal, para longe da meta.

Ficha técnica

BRUSQUE 2 x 1 BOTAFOGO
Data: 17/07/2021;
Local: Estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC);
Hora: 19h (de Brasília);
Árbitro: Ivan da Silva Guimarães Junior (AM);
Auxiliares: Marcos Santos Vieira (AM) e Uesclei Regison Pereira dos Santos (AM).
Gols: Diego Gonçalves, aos 28' do primeiro tempo para o Botafogo; Thiago Alagoano, aos 28', e Edu, aos 42', do segundo tempo para o Brusque.

Cartões amarelos: Ianson, Everton Alemão, Garvez, Airton (BRU); Pedro Castro (BOT)

Brusque: Zé Carlos; João Carlos (Toty), Ianson (Claudinho), Everton Alemão e Airton; Zé Mateus e Rodolfo Potiguar (Gabriel Taliari e depois Fio); Bruno Alves e Maurício Garcez (Diego Mathias); Thiago Alagoano e Edu. Técnico: Jerson Testoni.

Botafogo: Diego Loureiro; Daniel Borges (Warley), Kanu, Lucas Mezenga e Rafael Carioca; Barreto, Pedro Castro (Ênio) e Chay; Marco Antonio (Rikson), Diego Gonçalves e Rafael Navarro (Rafael Moura). Técnico interino: Ricardo Resende.

Futebol