PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Apesar de pior defesa e jejum de seis jogos, Moreno pede calma ao Cruzeiro

Serrato, do Avaí, comemora gol contra o Cruzeiro, pela Série B do Campeonato Brasileiro - FERNANDO MORENO/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO
Serrato, do Avaí, comemora gol contra o Cruzeiro, pela Série B do Campeonato Brasileiro Imagem: FERNANDO MORENO/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em Belo Horizonte

17/07/2021 18h39

Classificação e Jogos

Onze pontos em 36 disputados, 22 gols sofridos (dono da pior defesa), seis jogos sem vencer na Série B do Campeonato Brasileiro, salários atrasados e um drama que parece sem fim. Esta é a realidade do Cruzeiro que, neste sábado (17), foi humilhado pelo Avaí, em pleno Mineirão e que deixou o gramado do Gigante da Pampulha com derrota por 3 a 0, a terceira só pela competição nacional.

Ao final da partida, o atacante Marcelo Moreno, que teve as duas melhores chances da Raposa no jogo, lamentou o placar, mas pediu que o time tenha paciência para dar a volta por cima e, na 13ª rodada, não figurar na zona de rebaixamento.

"É uma derrota duríssima para a gente. A gente sentiu. Esse jogo era muito importante o Cruzeiro ganhar. Tivemos uma semana boa, colocamos muita intensidade, todos se dedicaram. Faltou algo mais hoje. Faltou a bola entrar. Tive a chance, cabeceei na trave, seria o 1 a 1. Continuar acreditando. Tem jogadores se dedicando ao máximo. A gente tem que lutar, não adianta se lamentar, temos que pensar positivo", destacou o boliviano em entrevista ao Première.

Na próxima terça-feira (20), a Raposa volta a campo e, em Belém, terá pela frente o Remo, time comandado pelo técnico Paulo Bonamigo.

Cruzeiro