PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sancho lamenta pênalti perdido e insultos racistas: 'Não é novidade'

Jadon Sancho, que entrou só para bater o pênalti, desperdiçou sua cobrança - Michael Regan - UEFA/UEFA via Getty Images
Jadon Sancho, que entrou só para bater o pênalti, desperdiçou sua cobrança Imagem: Michael Regan - UEFA/UEFA via Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/07/2021 15h05

Alvo de insultos racistas por perder seu pênalti na derrota da Inglaterra na final da Eurocopa, Jandon Sancho quebrou o silêncio. O atacante se desculpou pelo erro contra a Itália, e lamentou os ataques racistas.

Em longo texto publicado em suas redes sociais, Sancho pediu uma punição aos responsáveis pelos insultos racistas, mas afirmou que o episódio "infelizmente não é nenhuma novidade". Até o momento, um torcedor foi preso.

"Eu tive alguns dias para refletir sobre a final de domingo, e ainda sinto um misto de emoções. Eu gostaria de pedir desculpas a todos os meus companheiros, comissão técnica e a todos os fãs que eu decepcionei. Este é de longe o pior sentimento que já senti na minha carreira. É difícil até colocar o real sentimento em palavras, mas há tantas coisas positivas para tirar deste torneio, mesmo que a derrota vá doer por um longo tempo", iniciou Sancho.

"Eu estava pronto e confiante para fazer isso. (...) Já marquei pênaltis antes, já pratiquei inúmeras vezes pelo clube e pela seleção, então escolhi meu canto, mas simplesmente não era para ser desta vez", seguiu.

Sobre o caso de racismo, Sacho defendeu a "evolução da sociedade", e se solidarizou com jovens que tenham passado por situação semelhante.

"Não vou fingir que não vi os abusos raciais que eu e meus irmãos Marcus (Rashford) e Bukayo (Saka) recebemos após o jogo, mas infelizmente não é nenhuma novidade. Como sociedade, precisamos fazer melhor, e responsabilizar essas pessoas", destacou o atacante.

"O ódio nunca vencerá. Para todos os jovens que sofreram abuso semelhante, levantem a cabeça e continuem perseguindo seu sonho. Eu tenho orgulho deste time da Inglaterra e de como nós unimos toda a nação nesses 18 meses difíceis para muitas pessoas. Por mais que quiséssemos vencer o torneio, nós construiremos e aprenderemos com essa experiência seguindo em frente. Quero agradecer imensamente por todas as mensagens positivas, de amor e apoio, que superam as negativas. Foi, como sempre, uma honra representar a Inglaterra e vestir a camisa dos Três Leões, e não tenho dúvida que voltaremos ainda mais fortes. Fiquem à salvo e vejo vocês em breve", encerrou.

Futebol