PUBLICIDADE
Topo

Eurocopa - 2021

Kiricocho! Chiellini revela ter apelado para a superstição na final da Euro

Roberto Mancini e Giorgio Chiellini erguem troféu da Eurocopa na chegada a Roma - Claudio Villa/Getty Images
Roberto Mancini e Giorgio Chiellini erguem troféu da Eurocopa na chegada a Roma Imagem: Claudio Villa/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

13/07/2021 16h59

Classificação e Jogos

O capitão da seleção da Itália, Giogio Chiellini, apelou para a superstição na final da Eurocopa. O italiano revelou em um vídeo postado no Twitter que gritou "Kiricocho" antes de Bukayo Saka partir para a cobrança da última penalidade. O goleiro Donnarumma ficou fez a defesa e sacramentou o título italiano.

"Kiricocho" é uma superstição que nasceu na Argentina, na década de 1980. Reza a lenda que esse era o nome de um torcedor do Estudiantes de La Plata azarado. Coincidentemente, a equipe nunca vencia quando ele estava nas arquibancadas.

Quando a fama de 'pé frio' chegou aos ouvidos do técnico Carlos Bilardo, Kiricocho teria virado uma espécie de amuleto às avessas da equipe, e levado para todos os jogos para que cumprimentar os adversários.

Se o "amuleto" de fato existiu, ninguém sabe. Mas em 1982, o Estudiantes foi campeão argentino com apenas uma derrota - justamente o que o torcedor não teria apertado as mãos dos jogadores. A lenda ganhou o futebol argentino e é usada no mundo todo, principalmente em cobranças de pênaltis.

Em 2021, o grito já havia aparecido também na Liga dos Campeões, nas oitavas de final, quando Sevilla e Borussia Dortmund se enfrentaram e decidiram nas penalidades. Bono, o goleiro do time espanhol, gritou "Kiricocho" para Haaland. A superstição até que funcionou - ele defendeu a cobrança, mas o VAR voltou alegando que o goleiro se adiantou.

Bono invocou a lenda mais uma vez, mas Haaland balançou as redes na segunda tentativa. Ao fim do jogo, os alemães se classificaram.