PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Palmeiras se despede de Gabriel Menino desejando que Olimpíada seja vitrine

O jogador Gabriel Menino, do Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol. - Cesar Greco
O jogador Gabriel Menino, do Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol. Imagem: Cesar Greco

Diego Iwata Lima

De São Paulo

07/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

Das revelações do Palmeiras atualmente no elenco profissional, Gabriel Menino é o mais bem acabado como "produto" para o mercado externo. Contra o Grêmio, nesta quarta-feira (7), o meia dá adeus ao Palmeiras rumo à Olimpíada. E não será surpresa, tampouco tristeza, se essa acabar sendo a despedida definitiva dele no clube.

Precisando de reforço no caixa, o Palmeiras talvez tenha até mais pressa que o próprio jogador em concluir uma negociação com algum clube do exterior, justamente por saber que, entre seus atletas, Gabriel é um dos que têm maior potencial de saída.

Desde janeiro, quando a temporada 2020 ainda estava em andamento, o estafe de Gabriel e o Palmeiras têm recebido diversas sondagens pela contratação do versátil meia. No passado, clube, atleta e seu empresário entenderam que ainda não era o momento da saída. Agora, a situação é outra.

"Se aparecesse hoje uma proposta interessante para o Palmeiras e para ele, o Gabriel estaria 100% preparado" disse seu agente, Nick Arcuri, em entrevista ao UOL. "A evolução do Gabriel foi muito rápida, ele pulou algumas etapas. Está muito acima do esperado."

É por isso que, mesmo tendo muita confiança no presente e no potencial futuro do atleta, o Palmeiras espera que os Jogos Olímpicos possam catalisar um processa de venda do jogador.

Menino tem contrato com o Palmeiras até dezembro de 2024, com multa em torno de 60 milhões de euros, o que hoje significa quase R$ 393 milhões. Mas entende-se no clube que seu valor de mercado oscile em torno de 20 milhões de euros, aproximadamente R$ 122 milhões. Uma venda seria um enorme alívio no caixa do clube.

Versatilidade é o maior trunfo do meia

Para Arcuri, a versatilidade é o maior diferencial de Gabriel. Volante de origem, ele conseguiu mostrar muito potencial na lateral direita, quando escalado assim por Vanderlei Luxemburgo, inicialmente, e depois por Abel Ferreira. Não por acaso, foi nesse setor que ele chegou à seleção brasileira, com Tite, e na equipe olímpica, com André Jardine.

O pensamento de Gabriel e de seu estafe na Olimpíada não é fazer do torneio uma vitrine. "Uma negociação seria uma consequência, não um objetivo", afirma Nick Arcuri. "Gabriel está indo aos Jogos para viver o momento, vestir a amarelinha, ter essa sensação", diz ele.

Até porque, tendo como concorrente pela posição ninguém menos que Daniel Alves, é possível que Menino jogue menos do que se supunha no torneio. Por outro lado, entra de novo na equação a questão da versatilidade —e Gabriel pode brigar por uma vaga no meio-campo.

A tendência é que a situação de Gabriel esteja decidida até 31 de agosto, que é quando se fecha a janela de transferência para inscrição de contratações nos principais mercados europeus, como Espanha, Itália, Inglaterra e Alemanha. Um jogador com a qualidade e a idade de Gabriel vê como fora de cogitação mercados como Leste Europeu, Estados Unidos, Ásia e mundo Árabe.

Entre os times que já sondaram o Palmeiras e seu agente por Gabriel, estão Atlético de Madri (ESP), Dínamo de Kiev (UCR) e o Grupo City, que entre outros clubes, comanda o Manchester City (ING).

Palmeiras