PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

'Cansei': Mattos desabafa e faz desafio a Valdivia após críticas do chileno

Dirigente disse que nunca proibiu o jogador de entrar nas dependências do Palmeiras - Cesar Greco/Palmeiras/Divulgação
Dirigente disse que nunca proibiu o jogador de entrar nas dependências do Palmeiras Imagem: Cesar Greco/Palmeiras/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

06/07/2021 12h22Atualizada em 06/07/2021 12h37

Ex-diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos usou o seu Instagram para rebater as críticas feitas pelo meia Valdivia ontem durante o "Arena SBT" - na ocasião, o jogador disse que foi impedido de usar as estruturas do time.

No texto, o dirigente, que está sem clube, disse que nunca proibiu o chileno de entrar nas dependências da equipe paulista e ainda o desafiou a provar que isto realmente teria acontecido.

"Sobre as declarações do jogador Valdivia quero dizer que o atleta em questão foi sempre tratado com o máximo de respeito e jamais foi proibido por mim de utilizar as dependências da Academia de Futebol até o último dia do seu contrato, quando eu pessoalmente o entreguei uma camisa em agradecimento a todos os serviços prestados ao clube", iniciou Mattos, que colocou uma foto com a legenda "Cansei" na publicação.

"Após esse fato, quero desafiar Valdivia a dizer: quando ele foi proibido por mim de realizar qualquer atividade lá? Ou [dizer] quem usou o meu nome indevidamente (fofoca que ele é experiente bastante pra não cair, né?) e faltou com a verdade de que ele não poderia ir lá e que eu o proibia de entrar no clube ou realizar qualquer atividade lá? Inclusive, ele foi sim à Academia quando jogava pelo Colo Colo", prosseguiu.

Por fim, o dirigente repercutiu o fato de o atleta ignorar suas opiniões a respeito da relação entre os dois nos tempos de Palmeiras. Mattos ressaltou que não foi o responsável pela saída do chileno.

"Sobre a opinião dele sobre mim, sempre disse que é irrelevante, que minha história está lá, assim como a dele.... Ele acha que eu fui o responsável pela não-renovação dele com o clube, o que também não é verdade... A minha opinião era da permanência dele (voto que foi vencido pelos demais) naquele momento de reformulação. O clube e todos os responsáveis (área técnica, presidência, diretoria e gerente de futebol) entenderam que o melhor, baseado nos números dos anos anteriores, seria uma proposta 100% em produtividade e ele (com todo direito que ele tinha) a recusou...", finalizou Mattos.

Palmeiras