PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Caboclo usa perícia e diz que Del Nero fez proposta para abafar denúncia

Rogério Caboclo, presidente da CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Rogério Caboclo, presidente da CBF Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Igor Siqueira

Do UOL, no Rio de Janeiro

05/07/2021 17h08

Presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo contratou e divulgou o resultado de uma perícia para comprovar que Marco Polo Del Nero é autor de um bilhete por meio do qual recebeu uma proposta de R$ 12 milhões para abafar a denúncia de assédio moral e sexual da qual Caboclo viria a ser alvo.

Segundo assessoria do presidente afastado, o relatório do perito contratado conclui "com certeza e plena segurança técnica" que Del Nero escreveu o bilhete. A comparação foi feita com sete documentos escritos por Del Nero e levados ao perito por Caboclo. Mauro Ricart Ramos e Alessandro Ricart de Carvalho Ramos, ambos, peritos em Grafotecnia, assinam o laudo.

Semana passada, quando Rogério informou a existência do bilhete, Del Nero negou a autoria e enviou uma resposta cheia de adjetivos. "O desditoso Rogério Caboclo é perverso, além de seu falar temulento e andar trôpego, e por esse ego inflado, mentiroso empedernido, viaja em alucinações, achando que pode esconder seus assédios, alavancando acusações desconexas e inverídicas a outros. Aconselho-o cuidar de si e das vítimas", disse o dirigente, banido do futebol pela Fifa.

Bilhete divulgado por Rogério Caboclo que supostamente seria de Marco Polo Del Nero - Reprodução - Reprodução
Bilhete divulgado por Rogério Caboclo que supostamente seria de Marco Polo Del Nero
Imagem: Reprodução

No bilhete que Caboclo afirma ser de Del Nero, há anotações que seriam o pedido de indenização para que a denúncia de uma funcionária contra o então presidente da CBF não avançasse. Na versão de Caboclo, houve a sugestão de proposta feita por Del Nero de pagamento de R$ 12,409 milhões para abafar o caso.

Não fica claro se Del Nero falava em nome da funcionária. Ela negou até agora ter exigido dinheiro e, de fato, protocolou a denúncia. Logo à frente do número 12.409 foi escrito: "corresp [correspondente] 20 anos de salário, transferindo ao valor presente a uma taxa [de correção] de 2,75 [%] anual"

Caboclo diz ainda que a oferta final desses interlocutores foi reduzida para R$ 8 milhões e a recusa da proposta foi feita por escrito, no dia 4 de junho, sexta-feira, às 11h28. Naquele mesmo dia, a denúncia foi oficializada na comissão de ética do futebol brasileiro e na diretoria de compliance da CBF. Há áudios divulgados pela TV Globo com os diálogos entre Caboclo e a funcionária. Em um deles, ele pergunta: "Você se masturba?"

Caboclo foi afastado por 30 dias pela comissão de ética no dia 6 de junho. A decisão de ampliar por mais 60 dias veio no último sábado (3) e se somou a uma resolução de diretoria da CBF de tirá-lo da cadeira presidencial também por 60 dias.

Futebol