PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Torcedor "fura" treino fechado do Uruguai e espera camisa de presente

Conrado Deguer de Vargas e o pequeno José Augusto Gomes de Vargas esperam seleção do Uruguai - Marinho Saldanha/UOL
Conrado Deguer de Vargas e o pequeno José Augusto Gomes de Vargas esperam seleção do Uruguai Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Brasília (DF)

01/07/2021 16h47

Classificação e Jogos

Conrado Deguer de Vargas não queria causar confusão. Tudo que o uruguaio de 29 anos buscava era se aproximar dos jogadores, uma foto, um carinho. Mas procurou um caminho alternativo, e quase se meteu em confusão. Depois de ficar em porta de hotel, em chegada de treino, foi até uma das laterais do CT do Brasiliense, subiu em uma árvore e "furou" a parte fechada do trabalho dos comandados de Óscar Tabárez. O resultado foi a preocupação da segurança, mas a promessa de um presente.

Conrado esteve no CT do Brasiliense nos últimos dois dias, de olho nos treinos do Uruguai. Nascido em Artigas, fronteira com o Rio Grande do Sul, ele mora em Brasília há 10 anos e construiu família. Hoje (1º), estava acompanhado do filho, José Augusto Gomes de Vargas, de sete anos.

Indagado pela reportagem do UOL Esporte, ele contou que assistiu treino fechado, foi barrado por seguranças e até precisou da polícia para intervir.

"Ontem eu assisti o treino deles, até gravei umas partes, o segurança veio para cima de mim, chamei os policiais que explicaram que eu não estava fazendo nada de errado", revelou. "O segurança da Conmebol se atirou na frente do meu carro", completou sorrindo.

Conrado espera seleção uruguaia na porta do CT do Brasiliense - Marinho Saldanha/UOL - Marinho Saldanha/UOL
Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Conrado, inclusive, apontou para a lateral do CT, de onde, segundo ele, dá para ver toda atividade, mesmo fechada.

O plano, de fato, não tinha fins nefastos. Tudo que o aficionado queria era uma camisa de presente, para ele ou o filho, uma foto mais próxima ou mesmo dar apoio ao time.

"Fiz algumas fotos de longe no hotel. Mas me prometeram uma camisa", disse. "Acho que vai dar Brasil e Uruguai na final. Tem tudo para ser isso", completou otimista.

A empreitada em Brasília repete o que ele fez na Copa do Mundo de 2014. Na ocasião, esteve em Goiânia e Manaus acompanhando a seleção uruguaia, mas sem sucesso na aproximação. "Lá tinha muita gente", lamentou.

De fora do CT do Brasiliense, Conrado acompanhou a chegada dos jogadores nos ônibus da delegação uruguaia. Recebeu acenos dos membros do estafe, e prometeu que voltaria para olhar a saída dos atletas após o treino. "Vou ver se vão me dar a camisa", brincou.

O Uruguai realizou novo trabalho de olho na partida contra a Colômbia, sábado (3), no Mané Garrincha. A novidade nas quartas de final da Copa América deve ser Suárez de volta ao time.

Esporte