PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Julio Gomes: Se chegar Italia ou Bélgica, aposta na Inglaterra quem quiser

Do UOL, em São Paulo

01/07/2021 14h07

Classificação e Jogos

Com as eliminações de França e Portugal, finalistas da última edição da Eurocopa, a Inglaterra está em alta na imprensa europeia e nas casas de apostas como favorita a conquistar o título continental pela primeira vez, já que chega com um time mais forte, além do fato de jogar em casa caso avance à semifinal e à final.

No programa UOL News Esporte, com Marcelo Hazan, Julio Gomes analisa quem chega mais forte na reta final da Euro e coloca desconfiança no time inglês caso tenha de enfrentar em eventual final a Bélgica ou a Itália, que se enfrentam amanhã pelas quartas de final.

"É incrível pensar nisso, mas a Inglaterra se a gente somar Copas do Mundo e Eurocopas, chegou a uma final na sua história, aquela de 1966, jogando em casa a Copa do Mundo. Agora joga em casa novamente, joga em Roma contra a Ucrânia, mas depois, se passar, joga em Wembley de novo a semifinal e a final. É a favorita, agora, daí a ganhar são outros 500. Eu confesso que eu não sei nem por que chama a Inglaterra de tem grande, confunde-se a força da liga com uma seleção que, cá entre nós, sempre foi muito perdedora", diz Gomes.

"Eu acho que a Inglaterra vai ter uma casca na semifinal se enfrentar a Dinamarca, acho que a República Tcheca é um pouco menos forte do que a Dinamarca, e perdeu recentemente da Inglaterra nesse próprio torneio, perdeu de 5 nas eliminatórias, enfim. Agora, na final, se chegar uma Itália, chegar uma Bélgica, aposte na Inglaterra quem quiser", completa.

O jornalista coloca a Itália com ligeiro favoritismo no confronto com a Bélgica e vê a seleção que ficou de fora da última Copa do Mundo chegando com força e se apresentando preparada para ser campeã, o que só ocorreu na edição de 1968 e desde então foram dois vices, em 2000 e 2012.

"Bélgica e Itália eu vejo o favoritismo da Itália, por mais que seja um jogo no papel super equilibrado, a Bélgica é a líder do ranking da Fifa, é semifinalista de Copa do Mundo, mas a Bélgica forjou-se muitos nos últimos anos em cima de dois jogadores fundamentais, muitos jogadores bons, mas dois jogadores fundamentais, o Hazard e o De Bruyne, e os dois estão baleados. A gente não sabe quem vai jogar, qual a extensão da lesão do De Bruyne, mas enfim, aí por outro lado tem um Lukaku que está voando, Lukaku", afirma Gomes.

"A Bélgica é muito forte, mas eu acho que a Itália está nos trinques para ser campeã, é um time jovem, com uma defesa veterana, confiante, sofreu um gol depois de 200 anos, não perde há três anos, é uma seleção que está muito com cara de campeã a Itália. Eu acho ligeiramente favorita contra a Bélgica", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol