PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Abel e Galiotte revelam discordância pública sobre poderio do Palmeiras

Lua de mel dos títulos recentes já está ofuscada pelo descompasso público entre presidente e técnico - Divulgação
Lua de mel dos títulos recentes já está ofuscada pelo descompasso público entre presidente e técnico Imagem: Divulgação

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

25/06/2021 04h00

De um lado, o treinador alerta que este ano pode ser mais difícil do que o anterior; de outro, o dirigente valoriza o elenco que ganhou três taças recentemente. As últimas declarações públicas de Abel Ferreira e Maurício Galiotte revelam uma discordância clara quanto à força do Palmeiras para a sequência da temporada.

Na quarta-feira (23), após 'mensagens cifradas' e algumas reclamações por falta de reforços, o técnico encerrou a coletiva com uma frase de efeito. "Nem quando cheguei a equipe era tão fraca como diziam, nem agora somos os melhores do mundo como alguns querem dizer", afirmou Abel Ferreira na ocasião.

Ontem (24), em resposta, o presidente do Palmeiras até tentou jogar panos quentes na situação, mas acabou deixando ainda mais claro que a diretoria e o treinador têm visões diferentes quanto à força do elenco.

"Falei isso ao Abel, há dois ou três dias: temos uma situação peculiar, porque a crise que vivemos no ano passado se mantém neste ano. É óbvio que o relatório do futebol [que Abel fez] é importante, mas também é importante o relatório administrativo e o financeiro. Este equilíbrio se faz necessário", declarou Galiotte ao canal SporTV.

O dirigente fez alguns movimentos de conciliação, com tom sereno e elogios a Abel e à comissão técnica, mas os termos talvez não tenham sido os ideais para apagar o fogo. "Eu também gostaria de um time imbatível", disse, além de avaliar que as declarações do treinador "não agregam nada" neste momento.

O argumento de Abel Ferreira é que o Palmeiras não deveria estacionar após os títulos da última temporada, muito menos sobrecarregar os jogadores formados na base. Ele até subiu o tom ao falar dos reforços que não recebeu. Já Galiotte prega equilíbrio, valoriza o elenco atual e alega que o clube não pode sair gastando durante a pandemia.

O presidente do Palmeiras chegou a dizer que Abel Ferreira "sabe de todos os detalhes" da busca frustrada por reforços e que a coletiva de quarta-feira acabou "expondo situações já tratadas internamente". Na disputa de narrativas, a única certeza, agora pública, é que comissão técnica e diretoria já não estão na mesma página quanto ao poderio do time.

Neste cenário, Galiotte estará na Academia de Futebol na manhã de hoje (25) para conversar com elenco e comissão técnica. Será o primeiro de dois treinos do Palmeiras antes de voltar a campo às 20 horas (de Brasília) do domingo (27) para receber o Bahia, pelo Brasileirão, no Allianz Parque.

Palmeiras