PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Único do continente sem marcar em 2021, Uruguai questiona ataque "de peso"

Luis Suarez e Edinson Cavani são questionados no ataque do Uruguai - REUTERS/Hannah Mckay
Luis Suarez e Edinson Cavani são questionados no ataque do Uruguai Imagem: REUTERS/Hannah Mckay

Marinho Saldanha

Do UOL, em Brasília (DF)

21/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Uruguai perdeu por 1 a 0 para Argentina em sua estreia pela Copa América, em Brasília. Mas o resultado da última sexta-feira não chega a ser surpreendente levando em conta a produção da equipe. Única seleção do continente a não marcar gols neste ano, a Celeste encara dúvidas sobre uma dupla "de peso": Suárez e Cavani.

Não há dúvida que ambos são qualificados e não vivem fases ruins. Cavani marcou 17 gols em 39 jogos na última temporada pelo Manchester United. Suárez fez 21 gols em 38 jogos pelo Atlético de Madri.

No entanto, a idade parece começar a pesar para os dois. Ambos têm 34 anos e provavelmente estão se despedindo da Copa América.

Contra os argentinos não houve nem mesmo uma conclusão em gol. A principal chance uruguaia foi um cruzamento da esquerda que passou por ambos. Nada mais que isso. Depois da partida, o técnico Óscar Tabárez disse que o problema foi a baixa taxa de produção, mas poupou seus jogadores de frente de qualquer crítica.

É fato que o Uruguai vive uma crise ofensiva. Ao todo são 378 minutos de bola rolando desde o último gol, marcado por Darwin Nuñez, na vitória por 3 a 0 sobre o Equador em novembro do ano passado. Depois disso, jogos em que a equipe não marcou: contra Brasil (derrota por 2 a 0), Paraguai, Venezuela (empates em 0 a 0) e Argentina (derrota por 1 a 0).

Apenas duas equipes não fizeram gols nas duas rodadas das Eliminatórias de 2021: Uruguai e Paraguai. Como os paraguaios marcaram três vezes já na Copa América, sobrou aos uruguaios a marca de ser a única seleção da América do Sul ainda sem estufar as redes neste ano.

A oportunidade de encerrar o jejum vem nesta segunda-feira (21), contra o Chile, em Cuiabá, às 21h (de Brasília).

Esporte