PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Segurança da seleção uruguaia é acusado de assédio sexual na Copa América

Seleção uruguaia encara acusação de assédio sexual durante Copa América - Pedro Vilela/Getty Images
Seleção uruguaia encara acusação de assédio sexual durante Copa América Imagem: Pedro Vilela/Getty Images

Bruno Braz e Marinho Saldanha

Do UOL, em Cuiabá (MT) e Brasília (DF)

21/06/2021 12h15Atualizada em 21/06/2021 15h54

Classificação e Jogos

Um segurança da seleção uruguaia foi acusado, na madrugada de hoje (21), de assédio sexual por uma funcionária da Conmebol que estava no hotel onde a delegação está hospedada, em Cuiabá. A Associação Uruguaia de Futebol, pela manhã, informou o desligamento dele, que se chama Harold Ferreira Roldos. A Conmebol, em nota, repudiou o ato e disse que acatará o que for definido pelos órgãos de Justiça. A Polícia Militar do Mato Grosso confirmou a acusação.

O ato teria ocorrido entre a noite de ontem e a madrugada de hoje, com registro imediato pela funcionária do hotel. Os uruguaios encaram o Chile, hoje, na Arena Pantanal, às 18h (de Brasília), pela terceira rodada do grupo A da Copa América.

A Associação Uruguaia de Futebol agiu rápido e informou o desligamento do profissional.

"A Associação Uruguaia de Futebol informa no dia de hoje que desvinculou um funcionário integrante da delegação na Copa América do Brasil, como consequência de ter sido denunciado por suposto comportamento repudiável e inaceitável. Uma vez de volta a Montevidéu se dará início ao processo formal de investigação administrativa correspondente, respeitando as garantias do devido processo", publicou em nota.

A Conmebol evitou citar nomes em sua manifestação, mas se colocou totalmente contrária a tal conduta.

"A Conmebol está atenta às resoluções emanadas das autoridades judiciais ou administrativas que tratem da reclamação e acatará pontualmente o que estas estabelecerem", diz trecho da manifestação.

Encaminhamento de segurança da seleção do Uruguai para audiência de custódia em Cuiabá - Bruno Braz / UOL Esporte - Bruno Braz / UOL Esporte
Encaminhamento de segurança da seleção do Uruguai para audiência de custódia em Cuiabá
Imagem: Bruno Braz / UOL Esporte

A Polícia Militar do Mato Grosso, também em nota, confirmou o ocorrido. Segundo registro, um homem de 45 anos foi conduzido à delegacia acusado de assédio e importunação sexual.

"Uma equipe da 21ª Companhia Centro foi acionada pela gerencia de um hotel, localizado na Avenida Isaac Povoas. No local, o chefe da segurança do estabelecimento relatou que uma colega, que também é segurança, mas contratada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) disse ter sofrido assédio e importunação sexual por um segurança da delegação do time do Uruguai", diz a nota da PM.

Segundo relato da vítima aos policiais, ela foi cumprimentada pelo homem, que em seguida passou a cometer o ato de assédio, com pedido de um beijo em troca de dinheiro, além de perguntas pessoais e insistentes.

Ainda segundo a nota da PM, os seguranças do hotel precisaram intervir quando notaram, pelo sistema de câmeras do estabelecimento, que o homem segurava pelo braço a vítima. Ao chegarem no local onde tudo acontecia, no segundo andar do prédio, ele já havia saído.

O acusado negou a denúncia e foi encaminhado à Delegacia Especializada da Mulher onde passou a noite detido. Ele terá uma audiência de custódia no início da tarde de hoje (21) no Fórum Criminal de Cuiabá.

O hotel Deville Prime, onde a seleção uruguaia está hospedada, afirmou por intermédio de sua assessoria de imprensa que está colaborando com as investigações da Polícia. Os funcionários preferiram não conceder entrevistas ao UOL Esporte, que foi até o local.

Confira a manifestação da Conmebol na íntegra:

Diante de uma denúncia de assédio sexual contra um integrante de uma delegação que participa da Conmebol Copa América, a Confederação Sul-Americana de Futebol afirma o seguinte:

A Conmebol está atenta às resoluções emanadas das autoridades judiciais ou administrativas que tratem da reclamação e acatará pontualmente o que estas estabelecerem.

A Conmebol rejeita e condena veementemente qualquer forma de assédio sexual.

A Conmebol continuará trabalhando por um futebol livre de discriminação, violência e assédio e a favor do esporte como instrumento de desenvolvimento e crescimento das pessoas e das sociedades.

Esporte