PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Milly: "Fortaleza joga um futebol leve, que não temos visto mais"

Do UOL, em São Paulo

21/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Fortaleza desponta como uma das surpresas deste início de Brasileirão. A equipe cearense está invicta no campeonato e ocupa a segunda posição, com onze pontos ganhos em cinco partidas. O Tricolor do Pici tem chamado a atenção por seu estilo ofensivo de jogo, com destaque para o trabalho do técnico Juan Pablo Vojvoda.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabela Labate, Renato Maurício Prado, Milly Lacombe e Rodolfo Rodrigues - o Fortaleza ganhou elogios dos comentaristas após o empate por 1 a 1 com o Fluminense, neste domingo (20), no Castelão.

"O Fortaleza é um time que joga leve, solto, vai para o ataque. É admirável. É gostoso ver um time como o Fortaleza jogando. Espero que vá bastante adiante, porque é um futebol que a gente não tem visto mais. Não é organizado em torno do medo. A gente vê um time que quer mais. Não vai ganhar sempre, mas é mais gostoso ver esses jogos", destacou Milly.

Embora reconheça que o Tricolor do Pici esteja em boa fase, Renato acha que a equipe não terá força para continuar no topo da tabela por muito tempo. "O Fortaleza é minha grande dúvida. Está jogando um futebol muito bonito e está bem armado pelo Vojvoda, mas não tem elenco. Vai ser um cavalinho paraguaio. Não tem jeito. Vai disparar lá na frente e, à medida em que o campeonato for rolando, vai começar a perder jogador e periga até perder o técnico", disse.

Na visão de Rodrigues, a equipe cearense tem condições de se manter na briga por uma boa posição no Brasileiro. "É um time que já joga junto há muito tempo e foi muito bem treinado pelo Rogério Ceni durante quase três temporadas. Ainda tem muitos remanescentes. Tem até possibilidade, com tropeços de outras equipes, de ficar entre os dez e brigar por uma vaga na Sul-Americana. Acho difícil que consiga chegar a uma vaga na Libertadores", opinou.

Já Renato acha que, com o bom trabalho desenvolvido na equipe, o assédio em torno de Vojvoda vai se intensificar ao longo do campeonato. "O Vojvoda está revelando ser um técnico tão bom que não duvido nada que, no meio do caminho, um time grande demita seu treinador e vá atrás dele. Em termos de longo prazo, acho que o Fortaleza não vai ter fôlego", completou.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol