PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Milly: "Corinthians é sonolento, mas está melhor do que antes do Sylvinho"

Do UOL, em São Paulo

21/06/2021 12h00

Classificação e Jogos

O Corinthians fez um jogo de poucas emoções contra o Bahia e ficou no empate por 0 a 0, neste domingo (20), em jogo disputado no estádio Pituaçu. Apesar do início de pouco brilho no Brasileirão, o Alvinegro, aos poucos, demonstra alguma evolução sob o comando do técnico Sylvinho, que sente as dificuldades de um elenco limitado e sem perspectivas de reforços.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabela Labate, Renato Maurício Prado, Milly Lacombe e Rodolfo Rodrigues - a fase do Corinthians esteve no centro das discussões. Para os comentaristas, a equipe melhorou, mas não que isso signifique alívio para a torcida.

"O Corinthians melhorou. Não causava insônia antes porque era tão constrangedor que você queria ver o que ia acontecer. Era uma aglomeração de jogadores sem nenhuma ideia. Agora não. Tem um time ali. Lento, sonolento. É tão lento que não consegue contra-atacar porque não corre o suficiente. Mas é melhor do que era antes de o Sylvinho chegar. Não é um time que alarga o campo como faz o Palmeiras", avaliou Milly.

Renato apontou a situação de outra forma. "Tenho uma implicância com time com quatro volantes porque fica sem direção. Sylvinho tem que fazer experiências. Tem um elenco fraco na mão e tem que encontrar a melhor forma de disputar esse campeonato sem correr risco de cair. È só isso o que o Corinthians tem que fazer. Mesmo que arme um time direitinho, não vai disputar coisa alguma", afirmou.

Rodolfo foi ainda mais pessimista. "O time tem problemas para criar na parte ofensiva. O Jô voltou a ser titular, mas teve um desempenho muito ruim. O Mosquito fez falta, para a gente ver como o elenco está limitado. As opções que têm no banco são fraquíssimas. Não acho que briga pelo meio da tabela, mas sim contra o rebaixamento", opinou.

Para Milly, mesmo com um elenco limitado, a ausência de um jogador ajudou o time a melhorar.

"O Corinthians não teve seu melhor jogador, mas está se estruturando. Jogando assim, é para brigar pelo meio da tabela. Se me perguntassem há cinco jogos, diria que ia brigar para não cair. Consigo ver uma evolução nesse Corinthians. O miolo de zaga está mais entrosado. O time jogou reforçado com o desfalque do Luan. Ele está passando por um momento de desorientação espacial e não está sabendo se posicionar em campo. Quando o Corinthians ataca, ele fica perdido no meio, grudando em alguém. Quando o time volta, ele é o cara que sobra", completou.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol