PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Alex Sandro vira patrono de time de basquete que até vendeu rifa para jogar

Alex Sandro, lateral da Juventus e da seleção, e as amigas do basquete de Catanduva - Acervo pessoal
Alex Sandro, lateral da Juventus e da seleção, e as amigas do basquete de Catanduva Imagem: Acervo pessoal

Roberto Salim

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Quando Alex Sandro fez o primeiro gol da seleção brasileira contra o Peru, um time inteiro vibrou na cidade de Catanduva. Mas não era uma equipe de futebol. Era a turma do Bax Catanduva, equipe feminina de basquete da qual Alex Sandro é uma espécie de patrono, um verdadeiro padrinho dos sonhos esportivos de Natália Burian e sua turma. Sim: durante três anos o lateral-esquerdo da Juventus da Itália foi um dos responsáveis por bancar a manutenção das jogadoras em seu ideal de viver das cestas.

"Fazíamos rifas, vendíamos pizza e corríamos atrás de patrocínio para bancar o nosso objetivo", conta a armadora Natalinha, 1,63m de altura, 36 anos e passagem pela seleção nacional, entre 2008 e 2010. "Até rifa de moto nós fizemos, mas se não fosse a ajuda de Alex Sandro provavelmente não teríamos entrado na quadra para jogar os campeonatos".

A paixão de Natalinha pelo esporte é impressionante. Demonstra a mesma garra dentro e fora dos ginásios.

Tanto que hoje acumula a armação da equipe na quadra, onde entra com a camiseta 01, com o cargo de presidente do AEC/Tietê Agroindustrial/Bax Catanduva, que disputa o torneio da Liga de Basquete Feminino, a LBF.

"Mas a paixão da turma do futebol pelo nosso basquete também é muito grande", explica a jogadora. "Eles iam ver os nossos jogos quando ainda eram jovenzinhos e nós tínhamos uma equipe forte em 2005".

Malinha mais dois

Quando fala "eles", Natalinha se refere não só ao Alex Sandro, a quem chama carinhosamente de Malinha, mas também a Alan Patrick, atualmente jogando na Ucrânia pelo Shakhtar Donetsk, e a Wesley, que jogou no Santos, Palmeiras, Werder Bremen e hoje defende o CRB. Todos os três catanduvenses legítimos.

"O Alan Patrick também acreditou no projeto e continua com a gente até hoje, como um dos patrocinadores masters".

Natalinha lembra que os três eram fãs das jogadoras de basquete na época de criança.

"Eles acompanharam nossa trajetória sempre e quando se tornaram jogadores profissionais, eu não tive dúvidas em procurá-los para nos ajudar a por a equipe na quadra".

As dificuldades eram grandes, já não havia o aporte financeiro do século passado, quando Catanduva chegou a ter um time jovem e promissor, onde a estrela era a menina Hortência, a mesma que se tornaria Rainha. Um fazendeiro catanduvense bancava a equipe do Higienópolis Catanduva, que foi tricampeã paulista em 78, 79 e 80.

Natalia e Alex Sandro - Acervo pessoal - Acervo pessoal
Natalinha e Alex Sandro, amizade no esporte de alto nível de Catanduva
Imagem: Acervo pessoal

"Hoje as dificuldades são maiores, mas para esta temporada eu consegui a ajuda da prefeitura, a quadra do Conjunto Esportivo para mandar as partidas da Liga Nacional e patrocinadores", conta Natalinha que, neste ano, até agora não precisou do auxílio financeiro de dois dos "Três Mosqueteiros" do basquete local.

"Nem precisei pedir nada a eles. Mas quem sabe ainda possam nos ajudar, quando montarmos um time para ser campeão e disputar títulos."

Nesta temporada, Natalinha estava pensando em abandonar a quadra. Mas se reanimou com a disputa do torneio da LBF. No momento, a equipe é apenas a sexta colocada no campeonato brasileiro —que tem oito participantes. E dá gosto ver a garra com que Natalinha leva seu time ao ataque.

"Todos entram na disputa para passar ao menos aos play-offs. E é o que nós almejamos".

Por enquanto, bastam os agradecimentos aos três padrinhos e as felicitações enviadas por Natalinha a Alex Sandro pelo gol marcado contra os peruanos. O grande incentivador e amigo que não é patrocinador hoje, mas foi quem ajudou a "tirar o projeto do papel", que foi fundamental para por em prática o plano idealizado pela incansável jogadora e dirigente.

"Parabéns pela vitória e pelo gol, malinha !! Que Deus abençoe vocês durante a competição! Beijo grande".

Alex Sandro na seleção - Buda Mendes/Getty Images - Buda Mendes/Getty Images
Alex Sandro marcou o primeiro gol do Brasil e comemorou bastante no Nilton Santos
Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Seleção Brasileira