PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Novato da Colômbia foi indicado por Sampaoli como "futuro melhor do mundo"

Eder Traskini

Do UOL, em Goiânia

19/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

A já conhecida cobrança do técnico argentino Jorge Sampaoli por reforços em sua intempestiva passagem pelo Brasil teve, ao longo do tempo, algumas indicações —para não dizer demandas— mais contundentes. Entre elas estava o zagueiro colombiano Carlos Cuesta, então com 19 anos e no Atlético Nacional, e as palavras do treinador foram fortes a dirigentes do Santos: "Ele será o melhor do mundo em poucos anos".

O clube da Vila Belmiro não perdeu tempo. Com aprovação do departamento de análise, contatou os colombianos para tentar trazer o prodígio defensor. Os valores, no entanto, não eram compatíveis com a realidade santista e, então, surgiu o nome de Felipe Aguilar — que viveria altos e baixos no Peixe antes de se transferir ao Athletico-PR.

"Entregamos um relatório da análise e o Sampaoli nos disse já o conhecer muito bem. Me afirmou pessoalmente que ele seria o melhor zagueiro do mundo. O Atlético Nacional pediu US$ 4 milhões, oferecemos 2,5 milhões, mas ele acabou vendido para a Bélgica. Sampaoli pressionou bastante para que comprássemos", contou o ex-presidente do Santos José Carlos Peres.

A negociação com a Bélgica foi fechada um semestre após o contato santista. O Genk pagou 3,8 milhões de euros (R$ 22 milhões na cotação atual) para tirar o zagueiro de seu país natal. O colombiano chegou com impacto imediato na equipe belga: foi titular na maior parte do ano, inclusive na Liga dos Campeões, e somou 65 jogos em suas duas primeiras temporadas em território europeu.

O bom desempenho credenciou o jogador de 22 anos a fazer parte da convocação do técnico Reinaldo Rueda para a última data Fifa e, posteriormente, para a Copa América. Foram as primeiras convocações para a equipe principal para Cuesta, presença frequente nas seleções de base.

A concorrência na seleção colombiana, porém, não é fácil e faz com que o jovem ainda tenha pouco espaço. Os consagrados Yerry Mina, do Everton (ING), e Davinson Sánchez, do Tottenham (ING), formam a dupla titular. Stefan Medina, do Monterrey (MEX), e Jhon Lucumí, seu companheiro no Genk (BEL), são as opções de Rueda para o setor defensivo.

Esporte