PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Organizado, Guarani vence Ponte Preta e mantém histórico favorável no dérbi

Régis comemora gol do Guarani contra a Ponte Preta pela Série B - LEANDRO FERREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Régis comemora gol do Guarani contra a Ponte Preta pela Série B Imagem: LEANDRO FERREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL

19/06/2021 20h23

Classificação e Jogos

O Guarani venceu o dérbi 200 contra a Ponte Preta neste sábado (19) e mantém a vantagem no retrospecto histórico: agora são 68 triunfos contra 66 da adversária. Mais organizado e criando as principais chances, o Bugre marcou com Régis no final do primeiro e ganhou por 1 a 0 o confronto disputado no Brinco de Ouro da Princesa, pela quinta rodada da Série B do Brasileiro.

Com o resultado, o time da casa chega aos 8 pontos e fica colado no G4, ocupando a quinta colocação. Já o alvinegro segue sem vencer pelo torneio, em má fase que o deixa na lanterna da Série B, somando apenas um ponto.

Ponte e Guarani voltam a campo nesta terça-feira (22), pela sexta rodada da Série B. Às 19h, a Macaca recebe o Operário-PR e mais tarde, às 21h30, o Bugre vai até Belém do Pará para encarar o Remo.

Jogo é megafone da temporada

O dérbi campineiro de número 200 fez jus à história do confronto mais antigo do Estado de São Paulo. O Guarani começou buscando o jogo, a Ponte respondeu e, além das chances criadas, o clima era quente entre os jogadores. O embate reflete bem o que funciona no Guarani e o que não dá certo na Ponte nesta Série B. Enquanto o técnico Daniel Paulista pouco muda entre os titulares e consegue formar uma equipe muito disciplinada que sabe o que precisa fazer para vencer, Gilson Kleina segue em busca dos 11 ideais. O comandante agora abriu mão de um esquema com três zagueiros e apostou em um trio no ataque. Contudo, segue sem achar a fórmula que pode livrar o clube da lanterna da Série B, com apenas um ponto ganho de 15 possíveis.

O Bugre foi muito organizado e conseguiu ser produtivo na frente sem se expor atrás durante toda a primeira etapa, inaugurando o marcador com Régis no final dela. A Macaca tentou ser mais agressiva depois do intervalo, mas pouco assustou o goleiro Gabriel Mesquita. Até conseguiu articular algumas boas jogadas, que terminaram sem uma finalização.

O Bugre tá on

O Guarani começou o clássico ligado. Com menos de um minuto, Júlio César conseguiu girar dentro da área e bateu firme. Ygor Vinhas tocou na bola, mas ela ia entrando devagar no gol, até que Cleylton chegou e mandou para longe. A resposta da Macaca veio aos 10, quando Rodrigão cruzou para Camilo, porém Bruno Silva chegou antes e desviou. No escanteio, Dawhan tirou tinta do travessão na cabeçada.

Jogo bom, e Guarani domina

Durante a primeira etapa, o time da casa criava mais, apesar dos visitantes conseguirem lances de perigo, principalmente quando a bola encontrava o meia Camilo, que ainda era o responsável pelas cobranças de falta. Além da chance desperdiçada no começo, Diogo Mateus, aos 25, e Bruno Sávio, aos 30, tiveram a oportunidade de abrir o placar em cruzamentos, contudo pecaram na hora de finalizar.

Insistência premiada

Aos 41 minutos, o domínio do alviverde, enfim, resultou na vantagem do placar. Carlão pegou a bola na intermediária e teve liberdade para avançar até encontrar belo passe para Régis, dentro da área. O meia bugrino dominou com a direita e a bola acabou subindo e, quando ela caiu, acertou um forte chute, sem chances para Ygor Vinhas.

Por pouco

A Macaca voltou mais agressiva do intervalo. Buscando reagir, a equipe foi para cima e teve boas chances. A primeira, aos seis, com Rafael Santos recebendo de Moisés batendo forte da entrada da área. A segunda, com o próprio Moisés, que recebeu linda bola de Rodrigão e ficou cara a cara com o goleiro, mas demorou muito para concluir o lance, permitindo que Thales desviasse para escanteio. Aos 18, ele avançou pela entrada e, novamente, foi desarmado por Thales antes de finalizar.

Clima frio dentro e fora de campo

Uma chuva fina começou a cair no gramado do Brinco de Ouro por volta dos 15 minutos. Apesar de fraca, apagou o fogo da Macaca. Gilson Kleina tentou reanimar com as entradas de Richard e Fessi, porém o Guarani soube controlar bem qualquer ímpeto do rival. Antes do apito final, Davó ainda pediu um pênalti aos 29 e, pouco depois, houve um princípio de confusão perto da área da Ponte.

Ficha técnica

GUARANI 1 x 0 PONTE PRETA
Data: 19/06/2021
Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP);
Hora: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC);
Auxiliares: Alex dos Santos (SC) e Éder Alexandre (SC).
Gol: Régis, aos 41' do primeiro tempo (GUA).

Cartões amarelos: Thales, Diogo Mateus, Régis, Bruno Sávio (GUA); Kevin, Rodrigão, Niltinho (PON).

Guarani: Gabriel Mesquita, Diogo Mateus, Thales, Carlão (Ronaldo Alves) e Bidu; Bruno Silva (Tony) e Rodrigo Andrade (Índio); Bruno Sávio, Régis (Titi) e Júlio César (Matheus Souza); Davó. Técnico: Daniel Paulista.

Ponte Preta: Ygor Vinhas, Kevin (Felipe Alburquerque), Ednei, Cleylton e Rafael Santos; Dawhan, Vini Locatelli (Richard) e Camilo (Renatinho); Moisés (Fessin), Rodrigão e Niltinho (Josiel). Técnico: Gilson Kleina.

Futebol