PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro: Mozart valoriza vitória e revela surpresa com escalação da Ponte

Técnico Mozart conquistou quatro pontos em dois jogos desde que chegou ao Cruzeiro - Igor Sales/Cruzeiro
Técnico Mozart conquistou quatro pontos em dois jogos desde que chegou ao Cruzeiro Imagem: Igor Sales/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

17/06/2021 01h00

Classificação e Jogos

O Cruzeiro venceu a primeira partida na Série B do Campeonato Brasileiro ao bater a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, por 1 a 0, na noite de ontem (16), pela quarta rodada da competição. O técnico Mozart valorizou o resultado, garantido com um gol do atacante Bruno José, e revelou surpresa com a escalação do treinador rival Gilson Kleina.

Ao explicar sua estratégia do jogo, Mozart falou sobre a tentativa de Kleina em surpreender o Cruzeiro.

"Iniciamos num sistema, que é aquele que mais me identifico mais, que é o 4-3-3. No primeiro tempo nosso jogo ficou travado, até por mérito da Ponte. Não esperava que o Gilson viesse com três zagueiros, e ele [Gilson Kleina] dificultou nossas manobras", comentou.

A vitória tira um peso das costas dos atletas e até da comissão técnica, que apesar de ter chegado em menos de uma semana, já assimilou o quanto os bastidores do clube estão efervescentes.

"Com relação ao peso da vitória, é uma redundância, nós entramos pensando na vitória, buscamos o tempo todo, e os atletas foram premiados com esse resultado positivo. Relembrando que jogar aqui com a Ponte não é uma tarefa fácil", explicou.

Ligação direta

Questionado sobre as tentativas de ligações diretas entre defesa e ataque — chutões —, Mozart disse que é uma coisa treinada, mas que espera aprimorar outras soluções quanto tiver mais tempo para trabalhar.

"As vitórias te dão mais tranquilidade. O adversário tem mérito também. Sempre que o adversário iguala sua saída, a gente treina essa ligação direta, sem peso para cair na frente dos atacantes ou nas costas da linha defensiva para nós apostarmos corrida. Tem coisas que só se ajustam com o tempo. E tempo, infelizmente, nós não temos. Cheguei numa quinta-feira, tive uma sessão de treinos, jogamos no sábado, aí já jogamos hoje, vamos jogar no sábado de novo. Não é um álibi, mas os meus jogadores têm condição de construir de trás. Jogo a jogo, com um pouco mais de tempo para treinar, vamos evoluir nesse sentido também", prometeu.

Cruzeiro