PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Corinthians: movimento apoiado por organizadas redige carta a Duilio; leia

Parque São Jorge, a sede social do Corinthians, receberá um protesto na manhã do próximo sábado  - Divulgação
Parque São Jorge, a sede social do Corinthians, receberá um protesto na manhã do próximo sábado Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

17/06/2021 19h48

Classificação e Jogos

O movimento 'Salve o Corinthians', criado por torcedores e apoiado por todas as organizadas do clube, questionará o presidente Duilio Monteiro Alves sobre alguns temas referentes ao futebol profissional do Timão e também das ações da atual gestão. O grupo escreveu uma carta se apresentando à diretoria e também cobrando o diálogo sobre alguns pontos específicos.

Entre os temas abordados estão a dívida quase bilionária do clube, a formação do atual elenco, a necessidade de reforços para a equipe principal e a transparência sobre contratos assinados pelo Corinthians. No próximo sábado (19), conforme antecipado pelo Blog do Perrone, o grupo fará um protesto na porta do Parque São Jorge.

A carta é assinada pela Gaviões da Fiel, Estopim da Fiel, Camisa 12, Pavilhão Nove, Coringão Chopp e Fiel Macabra — as seis principais torcidas organizadas do Corinthians.

Leia o documento:

'Corinthians, 17 junho de 2021

À diretoria do Corinthians e ao presidente Duílio Monteiro Alves,

Nós do Salve o Corinthians, movimento popular de torcedores corinthianos apoiado por todas as torcidas organizadas do Sport Club Corinthians Paulista, viemos por meio desta carta apresentar nossas reivindicações para a diretoria executiva do clube, representada na figura do presidente Duílio Monteiro Alves.

Antes disso, uma breve apresentação. O Salve o Corinthians nasceu da necessidade urgente de escancarar os reais problemas do clube, além da exigência de mudanças na estrutura política do Corinthians, nas mãos há anos e anos do grupo Renovação & Transparência e de uma oposição nula e igualmente obscura, que sempre foi incapaz de deixar a vaidade de lado para criar um projeto sério para o Coringão.

E, ainda que a gestão de Duílio tenha começado agora e esteja com um discurso de organização das finanças para o pagamento da maior dívida da história do clube, é preciso deixar claro que ele é um dos responsáveis pelo caos político e financeiro em que o Corinthians está metido agora.

Duílio, tal qual muitos que estão à frente do Corinthians e até mesmo muitos daqueles que se dizem oposição hoje, faz parte do grupo Renovação & Transparência, do ex-presidente Andrés Sanchez. A nós, torcida do Corinthians, foi prometido um time que, em poucos anos, seria "o Barcelona das Américas". Que em 10 anos sequer precisaríamos de patrocínio na camisa, de tantas outras fontes de recursos que teríamos.

Ganhamos, sim, muitos títulos importantes, que maquiaram a ruína dos cofres alvinegros. Enquanto comemorávamos, falíamos. O resultado é esse Corinthians atual, que nos tem tirado o sono.

Um clube sem dinheiro, sem crédito e sem poder político. O avesso do que nos foi prometido.

Entendemos e apoiamos o discurso de organização das finanças, de controle de gastos, mas na prática pouca coisa mudou: alguns profissionais técnicos foram contratados por Duílio, mas não no futebol. Onde os cofres sangram, as caras são as mesmas. Da base ao futebol profissional, o Corinthians está com os mesmos gestores, aqueles que ajudaram a falir o clube. E é importante ressaltar que o próprio Duílio era o diretor de futebol que montou esse time que está em campo. Isso não vamos nos esquecer.

Mesmo com uma das maiores dívidas do futebol brasileiro, o Corinthians segue entre os primeiros com a maior folha salarial. Comprometido em contratos obscuros e longos, com jogadores de baixo rendimento ou que sequer estão no banco. Segue contratando jogadores para a base sem um campeonato vigente e sem resolver a situação do time profissional.

É por tudo isso que:

1-) Queremos jogadores de posição: ao menos um meia e um centroavante. Não precisam ser galácticos nem grandes nomes no mercado, mas precisam ser bons e dar resultados rápidos. Com salários honestos e contratos claros, sem negociatas envolvidas. E queremos agora.

2-) Exigimos que estanquem as contratações na base. Enquanto o time profissional não for resolvido, que não se contrate mais ninguém para as demais categorias do futebol masculino. E exigimos agora.

3-) Uma remodelação do atual time profissional. Que seja um trabalho sério apresentado para a torcida do Corinthians de recuperação dos atletas de alto rendimento que não estão rendendo absolutamente nada atualmente. De afastamento daqueles que não servem mais para vestir o manto. E a remodelação é para agora.

4-) Para o item 3, é preciso que a diretoria de futebol do Corinthians seja séria. E seja composta por profissionais técnicos, por gerentes que sabem montar um time, que tenham um projeto a médio e a longo prazo. Não queremos mais "amigos" em cargos técnicos que exigem competência. Queremos pessoas capazes de montar um time competitivo, que pare de passar vergonha dentro de campo. É inadmissível que o Corinthians, com a grandeza que tem, fique de fora da Libertadores por anos seguidos quando há oito vagas para os times brasileiros na competição. Para isso, não é preciso ter um time com grandes estrelas ganhando fortunas, mas um planejamento sério. E queremos essa seriedade agora.

5-) Que os meios de comunicação do Corinthians passem a fazer menos piadinhas e memes para se dedicarem mais à transparência prometida, que nunca existiu. Que tais meios sirvam para mostrar contratos, balanços, transações e comunicar o que está sendo feito para sanar o problema. Que eles sirvam para contar à Fiel quem são os jogadores emprestados com o clube pagando o salário, exibir o tamanho da dívida da Arena e a documentação com a CAIXA, o que nunca foi mostrado a ninguém. E que sirvam a tudo isso agora.

Essas são as nossas primeiras reivindicações.

As arquibancadas estão vazias, mas estamos de olho e, sobretudo, vivos. Atentos e atuantes. Prontos para um levante com a força da Fiel.

Atenciosamente,
Salve o Corinthians'.

Corinthians