PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Sylvinho explica derrota do Corinthians: 'Bragantino se arriscou mais'

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

16/06/2021 23h47

Classificação e Jogos

Derrotado para o Red Bull Bragantino na noite de hoje (16), o técnico Sylvinho, do Corinthians, explicou o revés em casa, na Neo Química Arena, através do rendimento de seu adversário no segundo tempo. De acordo com o comandante do Timão, a equipe de Bragança Paulista teve êxito em não deixar o Alvinegro desempenhar seu jogo na etapa final e conseguiu se arriscar mais dentro de campo.

"No segundo tempo tivemos um decréscimo, o Bragantino se arriscou mais, entrou no nosso campo e nós começamos a ter dificuldades logo no começo do jogo. Tentamos algumas substituições, a entrada do Araos foi para dar mais posse de bola e nós precisávamos de mais um homem. Com relação ao Natel era porque tínhamos um campo aberto e ele tem velocidade. Gostaríamos de jogar no espaço, com profundidade, mas infelizmente acabou se lesionando. A terceira substituição foi em decorrência dessa lesão, entrando o Ramiro", explicou Sylvinho em entrevista coletiva.

Mesmo saindo na frente com Roni ainda no primeiro tempo, o Corinthians viu o Red Bull Bragantino crescer de rendimento e, com gols de Aderlan, de cabeça, e Eric Ramires — roubando a bola de João Victor dentro da área e ainda contando com uma falha do goleiro Cássio — o time visitante conquistou os três pontos em Itaquera e deixou o Timão na segunda metade da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

O Corinthians perdeu o atacante Léo Natel no segundo tempo e pode ter até oito desfalques para o fim de semana, quando visita o Bahia no Nordeste. Para Sylvinho, que ainda não tem a esperança de reforços no curto prazo, a solução para os problemas da equipe principal está no trabalho e na busca pela construção de um time mais competitivo.

"O planejamento é trabalhar em cima do time, organizando, sendo um time forte, que defende bem, tem uma boa construção. Nós trabalhamos com aqueles que estão mais tempo aqui, trabalhamos com os jovens. Eu trabalho com atletas e ninguém é diferente. Passamos o que queremos, nossos conceitos e o atleta que responde. Muitos absorvem bem e levam para o jogo. Evidente que em um momento ou outro existem falhas, faz parte do processo de maturação. O que queremos é um time que com performance tenha resultados. Vamos trabalhar para isso", encerrou o treinador do Corinthians.

Veja outros trechos da entrevista coletiva de Sylvinho:

Sobre posicionamento na bola aérea

"Nosso time é relativamente baixo e nós tentamos treinar, equilibrar e buscar soluções para que seja minimizado esse aspecto. Sofremos desde o primeiro tempo e nos complicou porque o Bragantino voltou para o jogo com aquele gol (Aderlan)".

O que faltou para o Corinthians hoje?

"Estamos tentando retomar nossos resultados na Arena. Alguns times sofrem menos, outros sofrem mais. Temos o trabalho de recuperar os pontos no nosso campo, é um ótimo campo, um excelente estádio. É o momento e temos que passar por cima dessas situações e encontrar soluções. No segundo tempo tivemos um decréscimo e isso comprometeu o jogo. Tivemos a entrega, mas houve isso e tentamos nas substituições potencializar o time. Faz parte, temos que buscar as soluções, estamos tristes e temos que buscar soluções. Buscar melhorar a parte defensiva, o meio de campo e também o ataque".

Sobre Paolo Guerrero

"É um atleta de outro clube, tenho dificuldades em qualquer comentário. Já trabalhei com atleta anos atrás, inclusive aqui no Corinthians em uma outra função, como auxiliar. Não é um atleta do Corinthians e não me permito fazer qualquer tipo de comentário. A diretoria está trabalhando em torno de algumas situações, mas isso é uma coisa mais de um cunho diretivo, do presidente. No seu tempo as coisas vão ocorrer".

Sobre peças do ataque no elenco

"Os nossos volantes são os nossos artilheiros hoje. São atletas que dão bastante sustentação na zona de meio de campo. O Natel infelizmente saiu, eu não queria correr o risco de colocar o Cauê no jogo, que estava em uma situação complicada. Eu considero Araos e Ramiro meias, não são como Vital e Gustavo, mas são atletas da função. Era o que tínhamos ali para tentar. O Gustavo por dentro dá velocidade, mas ele vinha de um processo de cansaço".

Sobre atuação do meia Luan

"Posso comentar do Luan deste período de 20 dias em que estou trabalhando no clube. É um atleta que se dedica nos treinamento, que tem feito e exercido uma parte defensiva, cortando linhas de passe. É um atleta que tem uma grande qualidade e capacidade técnica e nós trabalhamos para encontrar uma conexão de todos. Buscamos sempre essa melhora. O Luan tem entregado, buscado e ajudado. Vamos seguir trabalhando para que todos sejam potencializados".

Sobre atuação do volante Gabriel

"No jogo anterior (Palmeiras) encontramos mais facilidade dos nossos meias para infiltrar, hoje encontramos isso no Roni. O Gabriel ficou em uma situação mais de construção, apoiando o Fábio. O Artur é um jogador de pé contrário, que tem o um contra um muito forte. Acabou faltando esse espaço na parte ofensiva, mas ele tem entregado".

Sobre as duas derrotas na Neo Química Arena

"Estamos vivendo tempos difíceis de pandemia. A gente sofre, sempre sofre. É importante para o nosso torcedor, que nos ajuda muito. Temos que buscar soluções, o que significa melhorar o nosso rendimento em casa".

Sobre o erro de João Victor

"Faz parte da maturação. As decisões do atleta são muitas. É um jogador que está crescendo e tem muito potencial. Os mais velhos também cometem erros. Agora é trabalhar, se dedicar e seguir crescendo em treinamentos e em jogos".

Corinthians