PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Fla vê hora certa para liga surgir e aguarda contragolpe financeiro da CBF

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, e Rogério Caboclo, presidente da CBF - Thais Magalhães/CBF
Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, e Rogério Caboclo, presidente da CBF Imagem: Thais Magalhães/CBF

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

16/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Clube que coleciona tensões nos bastidores com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Flamengo se anima com a semente para a criação de uma liga de clubes, mas sabe que a missão não será das mais fáceis.

Embora o otimismo tome conta da cúpula rubro-negra, os dirigentes entendem que haverá uma oposição fortíssima da cúpula da CBF para que o projeto seja abortado antes de sua gestação.

Ainda que Rogério Caboclo, presidente da CBF, esteja afastado do cargo, o Fla e os demais parceiros na empreitada já sabem que a entidade que comanda o futebol brasileiro usará de todos os artifícios para barrar a união.

O principal deles, é claro, será o financeiro. Com muitas agremiações de pires na mão em meio à pandemia, o Rubro-Negro entende que a confederação tende a usar um expediente recorrente: antecipação de receitas por meio de empréstimos.

Além disso, há a certeza de que essa situação de fragilidade econômica do país será usada por Caboclo e seus pares para tentar esvaziar a ideia. Some-se a isso, por fim, o fato de a liga precisar do aval da entidade para sair do papel: um entrave considerável a ser superado.

Apesar destes fatores contrários, o Flamengo entende que o projeto nunca foi tão forte e que o momento é o ideal. Com a CBF sob o comando do vice Antônio Carlos Nunes de Lima, o Coronel Nunes, os clubes vão aumentar a pressão e a carga.

Depois de apresentarem seu pedido formal de autorização, os clubes ensaiam os próximos passos e contam com o apoio externo para aumentar a pressão. Ante um cenário de antipatia amplificado pela realização da Copa América e as consequentes convocações de jogadores que perderão jogos no Brasileiro, o Fla crê que mudar o sistema vigente nunca foi tão possível.

Flamengo x CBF: convocações, lesões e Brasileiro
Gabigol em ação pela seleção brasileira - ALAN RONES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - ALAN RONES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Gabigol em ação pela seleção brasileira
Imagem: ALAN RONES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O relacionamento do atual bicampeão do Brasileiro com a CBF vai de mal a pior. Recentemente, a crise voltou a explodir com os episódios das lesões de Gabigol e Rodrigo Caio, que estavam na seleção. A serviço da seleção olímpica, Pedro foi diagnosticado com covid-19.

Insatisfeito com a perda maciça de jogadores que estão disputando a Copa América (na seleção foram Gabigol e Everton Ribeiro), os rubro-negros procuraram a entidade e formalizaram um pedido de paralisação no Brasileirão. Após nove dias de espera, o clube foi ignorado.

O caminho, então, foi recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O presidente Otávio Noronha indeferiu o pedido liminar dos cariocas, mas a questão será julgada amanhã (17), no Pleno do STJD.

Flamengo