PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Zé Roberto revela sensação de vestir a 10 de Pelé e elege gol marcante

Zé Roberto durante entrevista ao "The Noite" - Vídeo/Reprodução
Zé Roberto durante entrevista ao "The Noite" Imagem: Vídeo/Reprodução

Colaboração para o UOL

15/06/2021 02h06Atualizada em 15/06/2021 02h12

Ídolo de diversos clubes brasileiros, o ex-jogador de futebol Zé Roberto elegeu um gol que considera marcante entre os que fez em sua carreira e comentou o peso de vestir a camisa 10 do Santos, que um dia foi de Pelé.

"O Luxemburgo jogou a camisa 10 em meu peito e bambeou minhas pernas. Ainda bem que eu tava sentado ou ia cair no chão. Quando ele falou "te trouxe pra um 'pojeto' e falou: 'Você vai vestir a 10', pensei: e agora como é que vai ser? Jogar com a 10? Do rei", contou o ex-jogador em entrevista a Danilo Gentili no "The Noite" (SBT) de hoje.

"Teve um jogo, a Vila tava lotada, A torcida viu Pelé indo no camarote dele, eu falo e tô arrepiado, parece que aquilo me contagiou. Eu falei: Cara, Pelé aqui e eu jogando com a 10, a responsa hoje tá toda em cima mim. (...) Cara, o gol eu só consegui fazer por causa da inspiração. Minha comemoração foi o pulinho e depois ajoelhei graças a inspiração do rei", continuou o ex-jogador.

Quanto a um gol que se orgulha, Zé Roberto escolheu um feito por outro time.

"Foi o gol que fiz pela Portuguesa, meu clube de origem, no campeonato brasileiro de 1994. Recebi a bola no meio de campo e saí driblando uns 3, 4. Foi marcante porque foi inspirado no Dener e eu era muito fã do Dener. (...) Quando me perguntam se faltou algo pela carreira, faltou jogar com Dener. No ano em que eu subi, ele foi emprestado pro Vasco", contou.

O ex-jogador também elegeu a Portuguesa como o seu time do coração. "Comecei muito novo, com 16 anos. A Portuguesa ficou o time do coração, por quem eu tenho muito carinho", afirmou Zé Roberto.

Esse ou Aquele?

Durante o programa, Danilo propôs alguns desafios ao ex-jogador. Questionado para quem torceria entre Grêmio e Santos, Zé Roberto escolheu o Santos e justificou pelo fato de ter realizado o sonho do pai de ter vestido a 10 de Pelé.

Entre Flamengo e Palmeiras, ele afirmou que torceria pelo Palmeiras, devido a identificação com o clube, mas que também respeita o Flamengo.

Ainda no tópico, o ídolo não se furtou de responder se o Palmeiras tem ou não mundial. "Tem sim, eu tava lá. O mundial sub-17", disparou, aos risos.

Ídolo

Considerado ídolo por torcedores da maioria dos clubes brasileiros por onde passou (Santos, Palmeiras, Grêmio e Portuguesa), Zé Roberto revelou no palco do programa como acredita ter conseguido esse "feito".

"Eu acho que não tem muito segredo. Eu joguei em poucos clubes, foram 10, e nesses eu procurei sempre fazer a minha parte, que era honrar a camisa e dar o meu melhor. Acho que por isso que hoje, independente do clube que joguei... Por exemplo, hoje encontrei torcedores do Corinthians, tirei foto com eles. No Sul, quando joguei pelo Grêmio, tirei foto com eles. É gratificante ser respeitado por todo mundo. É por conta do legado que eu deixei".

Seleção

Zé Roberto também comentou os momentos nos quais jogou pela Seleção Brasileira e elegeu o gol do titulo na Copa América de 1997 como o principal destes. Ele revelou ainda acreditar que a seleção chegue longe na atual edição do torneio, mas não sabe se o suficiente para ser campeã.

Boa Forma

Danilo comentou com Zé Roberto sobre o fato de, diferente da grande maioria dos jogadores quando se aposenta, ele ter conseguido se manter 'no shape' (Zé Roberto é frequentemente elogiado pela boa forma).

"Eu tô porque sou um cara que sempre me cuidei muito quando eu jogava. Parei de jogar em 2017 e fiquei com essa mentalidade até hoje. Busco sempre levar e ter uma vida saudável, faço meus treinos (...) Agora em setembro vai ter uma copa Legends e eu recebi o convite pra jogar pelo Grêmio. Por isso tô magrinho", completou o ex-jogador.

Bayern de Munique

Zé Roberto ainda presenteou o apresentador com uma camisa do Bayern de Munique, assinada pelo próprio e explicou porque, sempre que presenteia alguém com uma camisa, escolhe a do gigante alemão.

"O Bayern foi o clube em que joguei mais tempo profissionalmente, foram 6 anos. Eu tenho uma relação pós-carreira mais próxima, eu jogo pelos legends do Bayern de Munique, eles fazem no mínimo 3 jogos por ano, eu sempre vou pra Alemanha fazer os jogos", contou.

O "The Noite" vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 00h45min, no SBT.

Futebol