PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Copa América desafia Flamengo, e jovens do Ninho voltam a ganhar espaço

Ryan Luka substitui Rodrigo Muniz durante jogo do Flamengo contra o América-MG - Alexandre Vidal/Flamengo
Ryan Luka substitui Rodrigo Muniz durante jogo do Flamengo contra o América-MG Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

15/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Em tempos de desfalques em massa por conta da Copa América, o Flamengo vive dias desafiadores para manter a boa performance. Para isso, conta com talentos da casa com a missão de seguir vivo na Copa do Brasil e permanecer no alto da tabela do Brasileiro.

Com Isla, Arrascaeta, Gabigol e Everton Ribeiro fora, o Rubro-Negro teve de recorrer novamente à base para dar ao técnico Rogério Ceni (ainda em recuperação da covid) mais alternativas de mexidas nos jogos. Um procedimento adotado no início da temporada, mas em cenário diferente: nas primeiras rodadas do Campeonato Carioca, os jogadores consagrados estavam afastados, em preparação física.

Diante da escassez momentânea, meninos como Ryan Luka, Thiaguinho, Max e Yuri vêm pintando entre os relacionados e veem na brecha deixada pelos titulares uma chance de ouro para se firmarem de vez no grupo principal.

Na vitória por 2 a 0 sobre o América-MG, o atacante Ryan teve seus primeiros minutos pelos profissionais e deixou boa impressão. Com apenas cinco minutos em campo, o jovem de 18 anos batalhou e saiu de campo feliz pela vitória, mas frustrado por um pênalti não marcado sobre ele.

Também uma cria das categorias de base do Fla, o técnico Maurício Souza é peça importante neste momento de transição e serve como uma espécie de "conselheiro" de Ceni no assunto.

"Nosso papel principal é fornecer jogador à equipe profissional. Quando eles sobem e correspondem, isso é um sinal de que o nosso trabalho está sendo bem feito", disse Souza.

Além desses nomes ainda não muito conhecidos do torcedor, jogadores como Rodrigo Muniz e Matheuzinho também se beneficiam com a ausência dos companheiros mais badalados. Sem Gabigol e Pedro (com covid), Muniz vem de dois gols em dois jogos e vê seu status mudar no clube.

"O Rodrigo já é uma realidade. É um grande jogador com capacidade de definir tanto com os pés quanto pelo alto. Falar do Muniz é muito fácil, pois é um jogador que não dá trabalho nenhum. Concentrado, ele é mortal", elogiou o técnico Mauricinho.

Em dias de bastidores agitados na Gávea, o Ninho do Urubu vive um momento de calmaria total. Com 100% de aproveitamento em dois jogos no Brasileirão e a um empate das oitavas de final da Copa do Brasil, o elenco se prepara para encarar amanhã o Coritiba, 21h30, no Maracanã.

Flamengo