PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Tite chama Neymar de "extraordinário" e explica estratégia para ele brilhar

Tite, técnico da seleção brasileira, sobe para o banco de reservas do Estádio Mané Garrincha - Luciano Freire/Framephoto/Estadão Conteúdo
Tite, técnico da seleção brasileira, sobe para o banco de reservas do Estádio Mané Garrincha Imagem: Luciano Freire/Framephoto/Estadão Conteúdo

Danilo Lavieri e Gabriel Carneiro

Do UOL, em Brasília

13/06/2021 21h11

Classificação e Jogos

A vitória por 3 a 0 da seleção brasileira sobre a Venezuela, no estádio Mané Garrincha, marcou a abertura da Copa América 2021 e também um respiro do técnico Tite em relação a assuntos polêmicos em suas entrevistas coletivas. Hoje (13), após o jogo, o treinador respondeu somente questões com viés esportivo selecionadas pela Conmebol e aproveitou para elogiar Neymar, autor de um gol que o fez alcançar Ronaldo como segundo maior artilheiro da história da Amarelinha.

"Quando você tem um jogador com essas virtudes, que tem o lance pessoal, é importante. Ele desenvolveu o lance de assistência, pé direito, esquerdo, ele fica imprevisível. Quando a gente aciona ele numa faixa mais adiantada do gramado ele fica mais protegido, porque o adversário fica com mais medo de fazer a falta em um local importante do jogo. Estruturamos para de repente ele receber menos bola, mas de uma forma mais eficiente", disse o treinador, antes de avisar que evitaria comparações históricas entre os goleadores.

"É injustiça comparar épocas, magnitude e números. Tem no passado Zico extraordinário, tem hoje o Neymar extraordinário, antes houve Romário e Ronaldo... Tem momentos que a gente tem que tomar cuidado para não comparar."

Neymar vem de três jogos seguidos em campo pela seleção brasileira, sendo duas rodadas das Eliminatórias e a estreia na Copa América, e soma três gols e três assistências nas vitórias por 2 a 0 (Equador), 2 a 0 (Paraguai) e 3 a 0 (Venezuela).

Começaram os testes

Tite disse ontem que a primeira fase da Copa América seria usada para dar mais tempo de jogo a atletas que não têm atuado com frequência nas Eliminatórias. Hoje, ele acionou Alex Sandro, Everton Ribeiro, Fabinho, Vini Jr e Gabigol no intervalo e ao longo do segundo tempo.

"A ideia inicial é não descaracterizar, se não você quebra o link, as conexões, você tira a confiança do atleta. Aí ele vai para o jogo, não joga bem e a oportunidade fica prejudicada. Mas no decorrer do jogo, como o jogo pede, inclusive para acelerar o adversário... Se você pegar todos os nossos jogos, o segundo tempo a gente consegue sempre uma oportunidade melhor do que no primeiro. E as oportunidades vão acontecendo no decorrer do jogo (...) Temos todas as opções, mas dentro da linha de manter uma estrutura e dar oportunidades aos atletas, fazendo por vezes combinações, duplas. O Richarlison jogou por dentro hoje, contra o Paraguai jogou por fora. Vamos fazendo essas variações."

Apesar da satisfação com o rendimento dos jogadores, Tite fez uma crítica no final da entrevista coletiva sobre a eficiência ofensiva na vitória por 3 a 0 sobre a Venezuela: "Se [a equipe] tivesse sido mais efetiva nas oportunidades poderia ter tido um placar mais elástico." O Brasil finalizou 18 vezes no Mané Garrincha, mas só sete na direção do gol.

Seleção Brasileira