PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo tem dívida de R$ 11,3 mi com agente por Pratto, Ganso e Pato

Pato e Ganso foram companheiros de São Paulo em 2015 - Julia Chequer/Folhapress
Pato e Ganso foram companheiros de São Paulo em 2015 Imagem: Julia Chequer/Folhapress

Thiago Braga

Colaboração para o UOL, de São Paulo

11/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Três jogadores que há tempos não vestem mais a camisa do São Paulo são responsáveis por uma dívida combinada de R$ 11,3 milhões do clube com o empresário André Cury.

A título de remuneração pelo serviço de intermediação na venda de direitos federativos de Paulo Henrique Ganso para o Sevilla-ESP, em 2016, Cury tem direito a receber R$ 4 milhões do clube paulista.

Outra venda feita pelo Tricolor e que contou com a participação de André Cury foi a saída de Lucas Pratto. Por ter intermediado o negócio com o River Plate-ARG, em 2018, Cury deve receber pelo menos R$ 3,3 milhões de reais do Tricolor.

Além disso, em 2019, Cury intermediou a contratação do atacante Alexandre Pato, que estava no Tianjin Quanjian-CHI, pelo São Paulo. O empresário também não recebeu os valores por ter feito o negócio. Hoje a dívida do Tricolor com o Cury por essa negociação também está em R$ 4 milhões.

Na semana passada, o UOL revelou que a Justiça de São Paulo condenou o clube do Morumbi a pagar R$ 19,6 milhões a Cury por conta de um empréstimo feito junto ao empresário pelo São Paulo em 2019, inicialmente no valor de R$ 13,7 milhões. Assim, até o momento, somando o dinheiro devido por Pratto, Pato e Ganso, Cury tem a receber do São Paulo R$ 30 milhões, valor que vai aumentando à medida que não for pago.

Cury não foi procurado pelo São Paulo até o momento para uma tentativa de acordo ou para uma renegociação das dívidas. Em março deste ano, o UOL mostrou que, em uma situação semelhante, o empresário levou o Atlético-MG à Câmara Nacional de Resoluções e Disputas (CNRD), da CBF. O agente quer receber comissões de transferências de atletas que não foram pagas ao longo dos últimos anos e superam R$ 21 milhões em dívidas do Atlético-MG.

Procurados pela reportagem, o empresário e sua assessoria de imprensa preferiram não se manifestar sobre o tema.

A reportagem apurou que o São Paulo recebeu a notificação da Justiça na tarde desta quinta-feira (10) e que, só a partir desta sexta (11), na visão do clube, é que começa o prazo de 15 dias estipulado para que o pagamento ao empresário seja feito. O São Paulo diz que tem sido tônica da atual gestão procurar o melhor caminho para sanear os problemas financeiros do clube. Também afirma que vai procurar equacionar o que for devido. Ainda não foi decidido pelo clube se o São Paulo vai recorrer da decisão na Justiça.

Ao Blog do Perrone, o presidente do São Paulo, Júlio Casares, afirmou que a cobrança de R$ 19, 6 milhões contra o clube é uma herança da gestão anterior e que buscará uma solução para o caso. "Assim como fizemos em todos os casos similares, vamos discutir, com discrição e serenidade, item a item da operação, visando um entendimento da questão e uma solução", declarou Casares, na ocasião.

São Paulo