PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro: relação ruim e tensão com estrelas ajudaram na queda de técnico

Felipe Conceição foi demitido pelo Cruzeiro após derrota para a Juazeirense e queda na Copa do Brasil - Bruno Haddad/Cruzeiro
Felipe Conceição foi demitido pelo Cruzeiro após derrota para a Juazeirense e queda na Copa do Brasil Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

10/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

A sequência ruim do Cruzeiro nas últimas partidas, com apenas uma vitória em seis jogos e incluindo aí a eliminação na Copa do Brasil — derrota no tempo normal e nos pênaltis para a Juazeirense —, foi um dos cruciais motivos para a demissão do técnico Felipe Conceição. Mas não o único. O treinador, demitido ontem (9), colecionou episódios que desagradaram jogadores e membros da diretoria cruzeirense.

Segundo apurou o UOL Esporte, o relacionamento de Conceição com os atletas já não era dos melhores, sofrendo com algumas rusgas. A forma como o comandante lidava com as escalações e substituições nos jogos era o que mais gerava incômodo no vestiário. Se, no começo, alguns comandados chegaram a elogiar a metodologia de trabalho do treinador, depois a relação interpessoal ficou desestabilizada.

A gota d'agua foi o episódio envolvendo o atacante Rafael Sóbis. O jogador não se conteve e reclamou após ser substituído na partida contra o CRB, pela Série B do Campeonato Brasileiro, na semana passada. "Tirar quem está jogando bem? Só pode estar de sacanagem comigo. Fica me minando o tempo todo", disparou ao deixar o gramado do Mineirão, em desabafo flagrado pela equipe da TV Globo.

O treinador chegou a bancar sua hierarquia na entrevista coletiva: "Nenhum atleta está acima do clube nem do treinador. Existe hierarquia e isso vai ser resolvido internamente. A gente não aceita nenhum tipo de adversidade interna", afirmou. Conceição deixou, inclusive, Sóbis no banco contra a Juazeirense na eliminação do mata-mata.

Degaste maior

Antes mesmo desse bate-boca envolvendo Rafael Sóbis, Conceição já havia irritado uma das estrelas do elenco, o atacante Marcelo Moreno. Sem jogar há quase dois meses pelo Cruzeiro, o veterano estava escanteado na Toca II no período que antecedeu sua ida à seleção da Bolívia. Desde 22 de maio o centroavante está a serviço do seu país para jogos das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa de 2022 e da Copa América.

Atualmente, Moreno é o artilheiro das Eliminatórias com seis gols. Com a demissão de Felipe Conceição, quem sabe, pode voltar a ter cartaz e brigar pela titularidade, a depender do novo comandante. O nome de Mozart, ex-CSA e Chapecoense, é um dos listados pelo novo diretor de futebol Rodrigo Pastana.

Willian Pottker, de saída para o futebol árabe, também deu indícios de que havia algo acontecendo na relação atletas x treinador. Depois de marcar um gol contra o Coimbra na oitava rodada do Campeonato Mineiro, o atacante comemorou com a mão na orelha e de olho no banco de reservas. Em outra oportunidade marcou mais dois gols e reclamou de sua pouca utilização nos jogos, indicando uma diferença com Felipe Conceição.

A chegada de indicados por Conceição, como Joseph, Flávio e Bissoli, ganhando prioridade na escalação em detrimento de outros que já estavam no time, também causou rupturas na relação treinador x comandados.

Diferenças com diretor

Outro ponto destacado pela fonte foi o relacionamento complicado entre Felipe Conceição e membros do departamento de futebol. De acordo com relatos, a contratação de Yeison Guzmán — que acabou frustrada — não tinha o crivo de Conceição. O colombiano chegaria ao clube e poderia não ser aproveitado como muitos desejavam, tendo em vista que o treinador não tinha tanta afeição pelo estilo de jogo do meio-campista.

Essa tentativa de contratação demonstrou, na visão da fonte, que não havia conexão entre os trabalhos do treinador e do dirigente que comandava a pasta à época.

Cruzeiro