PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2021

Athletico volta com tudo no segundo tempo e vence o Juventude em Caxias

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/06/2021 20h12

Classificação e Jogos

Bastaram apenas quatro minutos para Jadson garantir a segunda vitória do Athletico Paranaense no Campeonato Brasileiro na noite de hoje (6). O meia fez dois gols no início do segundo tempo, o primeiro de cabeça e o segundo em chute de dentro da área, e Nikão ainda fez mais um no fim para determinar o triunfo por 3 a 0 sobre o Juventude, que pouco fez na volta do estádio Alfredo Jaconi à Série A após 14 longos anos.

O resultado deixa o Furacão na vice-liderança do torneio, com seis pontos, enquanto o Alviverde fica na 15ª colocação, com um ponto ganho.

Athletico, que mandou a campo um time alternativo, e Juventude fizeram um primeiro tempo de muito estudo e toque de bola, sem muita objetividade. Na volta do intervalo, Jadson resolveu a partida com dois tentos. O Alviverde passou a dominar o campo adversário, mas não conseguiu furar a defesa do Furacão. Aos 43, Nikão ainda aproveitou o cruzamento e deu números finais na vitória rubro-negra.

Ambos os clubes jogam fora de casa pela terceira rodada. O Juventude encara o Santos no sábado (12), às 19h, na Vila Belmiro. Já o Furacão enfrenta o Grêmio no domingo (13), às 16h. Antes disso, a equipe paranaense tem pela frente o Avaí no confronto de volta da terceira fase da Copa do Brasil. O duelo acontece na Arena da Baixada nesta quarta-feira (9), às 16h.

Jadson, o inspirado

O Juventude bem que tentou criar chances, mas não conseguiu ter criatividade para vencer a marcação adversária. O Athletico também fez bom primeiro tempo, mas a conversa do vestiário deu resultado. Sem nem esperar os 15 minutos de intervalo, o time já estava no campo esperando o reinício de jogo. Jadson, o atleta mais criativo da noite no Alfredo Jaconi, mostrou que também estava muito inspirado. Com o placar a seu favor, os visitantes permitiram um certo controle do clube gaúcho, administrando a vantagem até o apito final.

Sem emoção

O primeiro tempo do jogo foi pouco movimentado. As equipes trocaram muitos passes para trás e para o lado, com pouco objetivo. Os visitantes tiveram duas chances: aos 16, quando Jadson bateu cruzado e a bola passou perto do gol, e aos 32, quando Babi cabeceou por cima da meta. Porém, o lance mais perigoso foi do Alviverde, com Matheus Peixoto. O centroavante aproveitou o cruzamento da direita e deu um peixinho na área, mas a mira falhou.

Agito veio do banco

Mesmo com o confronto sem empolgar, o banco do Athletico estava muito agitado. Além do técnico português António Oliveira, que gesticulava e andava de lado a lado na área técnica, o diretor técnico Paulo Autuori funcionava quase como um auxiliar e também ajudava a orientar os jogadores. Tanto é que nenhum dos 22 atletas recebeu cartão antes do intervalo, mas o comandante rubro-negro reclamou demais de uma falta não marcada aos 26 minutos e foi advertido com o amarelo pelo árbitro.

No fim do segundo tempo, Paulo Autuori recebeu amarelo por reclamação e continuou protestando até receber nova advertência e ser expulso.

Jadson brilha pelo alto e pelo chão

O Furacão voltou intenso do vestiário. A equipe nem esperou os 15 minutos para estar no gramado, e a fome de bola foi recompensada imediatamente. Marcinho cruzou para a área com dois minutos, e o baixinho Jadson apareceu de surpresa, sozinho, para testar firme no ângulo do goleiro Carné. Dois minutos se passaram até a tabelinha entre Cittadini e Babi, que rolou para Carlos Eduardo fazer o corta-luz e deixar Jadson sozinho para finalizar no canto esquerdo e ampliar o marcador.

Trocas não mudam cenário

Sem criatividade, o técnico Marquinhos Santos promoveu as entradas de Matheus Jesus e Marcos Vinicios nas vagas de João Paulo e Capixaba, respectivamente, aos 23 minutos. As alterações surtiram pouco efeito: o clube de Caxias do Sul tinha a bola no campo do Furacão, mas concluía mal as jogadas, exigindo muito pouco do goleiro Santos.

VAR discreto

Pode-se dizer que o momento em que o Juventude ficou mais próximo do gol foi em um possível pênalti, aos 35 minutos. Os jogadores reclamaram muito de um toque de mão na área, e o lance foi analisado pelo VAR, que mandou a partida seguir.

Mais um para acabar

Nikão, que havia entrado aos 16 minutos, anotou o terceiro gol do duelo. Terans, que entrou na vaga de Jadson, cruzou uma bola rasteira na área, e Renato Kayzer furou, deixando a bola para Nikão bater firme e dar números finais ao confronto.

Neblina também está de volta

O estádio Alfredo Jaconi passou por reformas no início deste ano para receber bem o Juventude em sua volta à Série A após 14 anos. Contudo, o que chamou mesmo a atenção foi a tradicional neblina que baixou no estádio em Caxias do Sul.

Tapete verde

A troca completa do gramado foi uma das obras de modernização no Alfredo Jaconi, que recebeu sua primeira partida oficial na noite de hoje. E ele estava impecável na estreia, permitindo com que a bola rolasse perfeitamente.

FICHA TÉCNICA
JUVENTUDE 0 x 3 ATHLETICO

Data: 06/06/2021
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)
Hora: 18h15 (horário de Brasília)
Árbitro: Paulo Cesar Zanovelli (MG)
Auxiliares: Celso Luiz da Silva (MG) e Leonardo Henrique Pereira (MG)

Cartões amarelos: Alvarado e Matheus Babi (ATH)
Cartão vermelho: Paulo Autuori

Gols: Jadson, aos 2' e aos 4', e Nikão, aos 43' do segundo tempo (ATH).

Juventude: Carné; Michel Macedo, Vitor, Forster (Cleberson) e Alyson; João Paulo (Matheus Jesus), Castilho e Wescley; Capixaba (Marcos Vinicios), Chico e Matheus Peixoto (Fernando Pacheco). Técnico: Marquinhos Santos.

Athletico: Marcinho, Zé Ivaldo, Thiago Heleno e Nicolas; Alvarado (Richard), Cittadini, Canesin (Nikão) e Jadson (Terans); Carlos Eduardo (Vitinho) e Matheus Babi (Renato Kayzer). Técnico: António Oliveira.