PUBLICIDADE
Topo

Eliminatórias Sul-Americanas

Com gol de Messi, Argentina empata com o Chile em 1 a 1 nas Eliminatórias

Lionel Messi disputa a bola com Mena durante o jogo entre Argentina e Chile pelas Eliminatórias da Copa  - JUAN MABROMATA/AFP
Lionel Messi disputa a bola com Mena durante o jogo entre Argentina e Chile pelas Eliminatórias da Copa Imagem: JUAN MABROMATA/AFP

Do UOL, em São Paulo

03/06/2021 22h57

Classificação e Jogos

Com alguns desfalques devido à covid-19, a Argentina empatou por 1 a 1 com o Chile no estádio Único de Madre de Ciudades, em Santiago del Estero, na partida válida pela 7ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. Messi abriu o placar de pênalti, e Aléxis Sánchez deixou tudo igual.

Vice-líder, a Argentina chegou aos 11 pontos, um a menos do Brasil, que é líder e entra em campo amanhã. Em sexto, o Chile soma apenas cinco pontos, e está fora da zona de classificação.

As jogadas mais perigosas da Argentina ficaram por conta de Messi - uma cobrança de falta defendida com muita categoria por Bravo; e uma bola na trave em cobrança de falta.

Próximos jogos

Na terça-feira (8), Messi e companhia enfrentam a Colombia, às 20h. O Chile pega a Bolívia em casa, às 22h30. As seleções da Argentina e do Chile voltam a se encontrar no dia 14 de junho, quando estreiam na Copa América. A partida está marcada para acontecer no Estádio Nilton Santos, o Engenhão, no Rio de Janeiro.

Início pegado

O primeiro tempo foi ditado pela marcação forte nas duas equipes. Aos quatro minutos, Galdames, do Chile, levou o primeiro cartão amarelo da partida por falta dura em cima de Tagliafico. O jogo se concentrou no meio de campo, com poucas chances claras de movimentar o placar.

Arma secreta

Nada melhor para superar um jogo truncado do que a bola parada, e ela foi a arma da Argentina para sair na frente. Aos 22 minutos, Maripán fez falta em Lautaro Martínez dentro da área, e com o auxílio do VAR, o árbitro assinalou pênalti para a Albiceleste.

Com a tranquilidade habitual, Messi esperou Bravo cair para a direita e bateu no cantinho esquerdo, sem chances de defesa.

Contragolpe na mesma moeda

O Chile reagiu e deixou tudo igual em uma cobrança de falta precisa cobrada com muita categoria por Aránguiz, que colocou a bola na segunda trave.

Mendel acreditou na jogada e chegou para tocar no meio, de carrinho. Com o gol vazio, Sánchez só teve o trabalho de completar para as redes.

Por pouco, Messi não fez o segundo. O camisa 10 cobrou falta por cima da barreira, no ângulo esquerdo de Bravo, que se esticou para fazer a defesa com apenas uma mão.

Posse sem agressividade

Controlando a posse de bola, a Argentina tinha a bola nos pés, mas pouco agredia, e se mostrava muito dependente do seu camisa 10. Nas poucas oportunidades em que foi exigido, Bravo não se assustou, e teve tranquilidade para fazer a defesa.

Por pouco, de novo

Messi cobrou mais uma falta com maestria aos 35 da segunda etapa. A bola passou da barreira e explodiu caprichosamente no travessão.

Nos minutos finais, Messi tentou resolver sozinho. Aos 41, o craque dominou pela direita, levou para dentro e arriscou de fora da área. Bravo espalmou já no chão e deu rebote. Na bagunça dentro da área, Correa tenta aproveitar, mas não acerta. A zaga do Chile conseguiu recuperar e afastar o perigo.

No minuto seguinte, mais uma vez ele chutou clocado, e Bravo espalmou.