PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Milly: "Tem alguma coisa de sobrenatural no Gabigol"

Do UOL, em São Paulo

24/05/2021 12h00

Classificação e Jogos

Mais uma vez, Gabigol se destacou em uma conquista do Flamengo. No sábado (22), o atacante marcou duas vezes na vitória por 3 a 1 sobre o Fluminense, que selou o título carioca aos rubro-negros. Se por um lado o jogador foi mais uma vez exaltado, por outro o time chamou a atenção pelas falhas defensivas.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte - com os jornalistas Isabela Labate, Renato Maurício Prado, Milly Lacombe e José Trajano - Gabigol recebeu comentários positivos dos colunistas, que também chamaram a atenção do técnico Rogério Ceni para os sucessivos problemas no sistema defensivo da equipe.

"Depois do Zico, talvez já venha Gabigol. Não é só que ele faz gol. Ele atua movimentando o time. É agudo. Toda bola que ele recebe toca para alguém e corre em direção ao gol. É uma coisa comovente. Ele bate pênalti e você nem acha que o goleiro vai pegar. Tem alguma coisa quase sobrenatural no Gabigol", elogiou Milly.

Embora reconheça as qualidades de Gabigol, Trajano ressalta importantes jogadores da história do Flamengo. "Ele está em um momento inacreditável, virou grande ídolo. Só que toda vez que falamos de um grande jogador, esquecemos do passado. O Flamengo tem na sua história não só o Zico. Tem Leônidas, Evaristo, Dida e Zizinho, que encantaram, foram pra seleção e foram ídolos do Flamengo por anos", relembrou.

Enquanto Gabigol e seus companheiros de ataque se destacam de forma positiva, a defesa tem preocupado a torcida do Flamengo. Para Renato, a fragilidade do setor tem uma explicação; "Rogério Ceni é um técnico limitado. Ele não conseguiu resolver o quebra-cabeça. Está tentando montar, mas ainda está longe de terminar. Virou cobertor curto porque Rogério costurou errado. Ele não admite erro e isso atrai a antipatia da torcida", criticou.

Para Trajano, a culpa não recai apenas sobre o treinador. "O Rogério Ceni já tentou de tudo, mas é inacreditável o que o Rodrigo Caio comete de pênalti infantil. Sinto que o Ceni não dá liga com a torcida e com elenco", disse.

Renato acha que Rogério até melhorou a saída de bola do time ao colocar Diego como volante e Willian Arão na zaga. Porém, ele reconhece que esta opção não é completamente segura. "Com Diego de volante e Arão de zagueiro melhorou a saída de bola, mas deixou a defesa vulnerável. Mais cedo ou mais tarde o Ceni terá que colocar um marcador. Ele demora para fazer isso porque essa sacada foi dele", finalizou.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol