PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Inter precisa quebrar tabu de sete anos na Arena do Grêmio para ser campeão

Geromel e Nonato disputam bola no Grenal que decide o Gauchão de 2021 - Pedro H. Tesch/AGIF
Geromel e Nonato disputam bola no Grenal que decide o Gauchão de 2021 Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

17/05/2021 12h00

Classificação e Jogos

O Inter não terá tarefa fácil. Para ser campeão gaúcho, o Colorado precisa quebrar um tabu que dura sete anos: vencer o Grêmio na Arena.

A última e única vitória do time vermelho na casa do rival, inaugurada em dezembro de 2012, ocorreu em março de 2014, na final do Campeonato Gaúcho. O Inter fez 2 a 1 no jogo de ida da decisão, com dois gols de Rafael Moura. Barcos marcou pelo Tricolor.

Repetir o 2 a 1 levaria a decisão para os pênaltis. A diferença de gols necessária para ser campeão sem as cobranças (dois ou mais) nunca aconteceu a favor do Colorado na casa gremista.

Depois do triunfo isolado, foram sete vitórias do Grêmio e oito empates. Com direito a goleadas por 4 a 1 em 2014 e por 5 a 0, ocorrida em 2015.

Neste ano, ocorreu a última vitória do time azul, branco e preto. Pela primeira fase do Gauchão, o insistente 0 a 0 foi quebrado com um bonito chute de Léo Chú, que inaugurou e decidiu o placar: 1 a 0 para o Grêmio.

Somando toda história de clássicos da Arena do Grêmio, os locais estão muito na frente. Sete vitórias do Tricolor, 10 empates, uma vitória do Inter. Foram marcados 24 gols pelo Grêmio, oito pelo Inter.

E é contra este retrospecto que o time de Miguel Ángel Ramírez precisará lutar. Derrotado em casa no duelo de ida da final do Gauchão, por 2 a 1, ontem (16), o Inter precisa vencer por margem mínima para levar a decisão para os pênaltis. Se fizer dois ou mais de vantagem, é campeão. Caso contrário, o tradicional rival conquista o quarto título seguido no Estadual.

"Tenho que escolher meus pensamentos. Posso escolher pensar nas derrotas ou ser mais positivo. Teremos o jogo de volta e 1 a 0 nos iguala na eliminatória", disse Ramírez. "Se fala muito de coisas assim, que o Inter não consegue... Mas o plantel, eu, o clube, não estamos pensando nisso. Não pensamos assim durante a semana. É um ruído externo que se gera. Nós escolhemos escutar ou não. Eu, pessoalmente, não escuto, não vejo, não creio", completou.

Antes de pensar no jogo de volta da final, o Inter terá pela frente o Olimpia, quinta-feira (20), no Paraguai, pela penúltima rodada do grupo B da Libertadores. O jogo é importante no objetivo de confirmar vaga na próxima fase da competição.

Internacional