PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Flamengo busca "tranquilidade" em campo e apara arestas nos bastidores

Rogério Ceni, técnico do Flamengo, conversa com jogadores durante treino no Ninho - Alexandre Vidal / Flamengo
Rogério Ceni, técnico do Flamengo, conversa com jogadores durante treino no Ninho Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

17/05/2021 04h00

A semana no Flamengo começa com o foco no duelo com a LDU, do Equador, que pode garantir o time nas oitavas de final da Libertadores, e, de certo modo, facilitar o planejamento desenhado pela comissão técnica. Nos bastidores, mudança de postura e definições que podem influenciar, justamente no atribulado calendário de 2021.

O triunfo sobre a LDU garante o Rubro-Negro na próxima fase da competição continental e pode fazer o técnico Rogério Ceni dar mais um passo para junto da torcida. Mesmo com o título do Brasileiro e o bom início de temporada, o treinador ainda encontra resistência na arquibancada e a classificação pode aliviar o cenário.

O empate com o Fluminense no último sábado (15), pelo primeiro jogo da final do Campeonato Carioca, demonstrou tal ponto. Ontem (16), inclusive, em tom de brincadeira, diversos rubro-negros foram às redes sociais pedir Ceni na vaga de Mancini, recém-demitido do Corinthians.

Desta forma, a conquista do resultado positivo na quarta-feira ganha um peso grande, além de fazer a equipe ir mais embalada para o segundo jogo da decisão do Estadual, após o resultado considerado ruim pelo próprio treinador.

Além disso, contra a LDU, o Flamengo terá uma nova oportunidade de provar ser um time efetivo, que, além da posse de bola, também "sabe matar o jogo".

Fora das quatro linhas, mudança de postura e definição em relação ao calendário. O presidente Rodolfo Landim esteve com Rogério Caboclo, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na última sexta-feira (14), e decidiu pelo adiamento de jogos do Fla durante a data Fifa. Assim, haverá alteração nos duelos de ida e volta diante do Coritiba, pela Copa do Brasil, e contra Grêmio e Athletico-PR, pelo Brasileiro.

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, e Rogério Caboclo, presidente da CBF - Thais Magalhães/CBF - Thais Magalhães/CBF
Imagem: Thais Magalhães/CBF

O alinhamento acontece depois de o próprio Rubro-Negro indicar que não queria ter remanejamento das partidas. Após a convocação das seleções principal e olímpica, na última sexta-feira (14), Branco, coordenador das seleções de base, já havia levantado a possibilidade. Bruno Spindel, diretor de futebol, por sua vez, agradeceu a preocupação da entidade, mas disse esperar que fosse à frente com o "compromisso de manutenção do calendário do futebol brasileiro para os clubes, (...) sem qualquer adiamento, no fim de semana do dia 29 de maio para todos os clubes".

Além disso, é uma semana que pode ter novas movimentações nos bastidores em relação à intenção de ter público na final do Campeonato Carioca. O clube, que é favorável à medida, enviou recentemente um protocolo à prefeitura e, com o apoio da Ferj, busca diálogo e alternativas junto aos órgãos municipais.

A pauta, porém, não promete ser das mais fáceis. No último sábado, a presença de convidados gerou polêmica e, inclusive, a administração do Maracanã será multada pela Secretaria Municipal de Saúde, que considerou a iniciativa como uma "infração gravíssima". Rubens Lopes, presidente da Ferj fez duras críticas à prefeitura após a informação desta notificação.

Flamengo