PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rafinha e Rodinei se encontram após quase jogarem do outro lado no Gre-Nal

Rafinha teve proposta do Inter antes de ir para o Fla; Rodinei teve oferta do Grêmio - Alexandre Vidal / Flamengo
Rafinha teve proposta do Inter antes de ir para o Fla; Rodinei teve oferta do Grêmio Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

16/05/2021 04h00

Rafinha e Rodinei podem decidir o Gre-Nal 431, hoje (16), no primeiro jogo da final do Campeonato Gaúcho. Os laterais têm papel decisivo dentro de um duelo entre Internacional e Grêmio que promete ser bem ofensivo. A dupla, aliás, tem história pela convivência no Flamengo campeão da Copa Libertadores e do Brasileirão, em 2019. Mas antes disso, eles quase pararam em Porto Alegre. Só que em lados opostos aos defendidos atualmente.

Internacional e Grêmio se enfrentam no estádio Beira-Rio, às 16h (horário de Brasília). No próximo domingo (23), o Gre-Nal acontece na Arena do Grêmio.

Rodinei vive uma fase incrível. Autor de sete assistências para gol, o lateral direito é o maior garçom entre todos os times da primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Cruzamentos, escanteio. Passe por baixo. O momento é tão especial que mesmo em reta final de empréstimo, segue atuando. Como se não houvesse um Flamengo à espera.

Em 2015, quem esperou por Rodinei foi o Grêmio. Em alta na Ponte Preta, o lateral recebeu oferta oficial e chegou a negociar com o clube gaúcho. O Flamengo apareceu depois e fechou com o jogador, que deixou Campinas rumo ao Rio de Janeiro.

Durante o período na Gávea, Rodinei viu a chegada de Rafinha. Em janeiro de 2019, o ex-jogador do Bayern de Munique assinou com o Flamengo e fez parte do time multicampeão. Mas meses antes, houve oferta de outro clube brasileiro: o Internacional.

Os dirigentes colorados mantiveram contato com Rafinha, por causa da reta final de vínculo na Alemanha. Nos corredores do estádio Beira-Rio, uma pequena ala da cúpula à época ficou empolgada. As tratativas, no entanto, esbarraram nos valores e tempo de contrato. Além da investida forte do Flamengo.

"O Rafinha é um grande amigo que fiz no mundo do futebol. Quando ele chegou ao Flamengo, sempre me tratou muito bem. Não falei com ele e nem quero falar, deixa para depois do jogo. Não tem brincadeira de aposta e nada, depois do jogo a gente dá abraço. É um amigo, mas agora vou dar a vida pelo Internacional para a gente conquistar o título gaúcho", disse Rodinei em entrevista coletiva.

Agora, Rafinha e Rodinei se reencontram. O camisa 13 já se tornou um dos novos líderes do vestiário gremista. E o rei das assistências prepara o adeus. Os dois sonham com o título estadual por razões distintas, como poderiam ser as cores no Gre-Nal de hoje.

Futebol