PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Jogador da base aciona CNRD contra o Cruzeiro por atraso em ajuda de custo

A Toca da Raposa I, agora Centro de Formação Felício Brandi, é a casa das categorias de base do Cruzeiro - Divulgação/Cruzeiro
A Toca da Raposa I, agora Centro de Formação Felício Brandi, é a casa das categorias de base do Cruzeiro Imagem: Divulgação/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

15/05/2021 04h00

Classificação e Jogos

A crise financeira no Cruzeiro a cada semana que passa gera capítulos novos de problemas. Depois de o clube perder o promissor Estevão Willian para o Palmeiras, dessa vez o caso que gera preocupação na Raposa envolve um jovem de 15 anos, capitão do time de sua categoria, que foi à Câmara Nacional de Resolução e Disputas (CNRD) cobrar pelo atraso no pagamento da bolsa de formação, que tem valor de R$ 200 por mês. Segundo apurou o UOL Esporte, há nove meses essa ajuda de custo não tem sido paga ao atleta e o débito surpreende pelo valor irrisório no mundo do futebol: R$ 1,8 mil.

O Cruzeiro, que vive um enorme dilema mensal com dificuldade em pagar salários de funcionários do administrativo e jogadores, admite que tem problemas para manter em dia também os pagamentos das bolsas de formação para os meninos que estão nas categorias de base.

"Atualmente, há uma pequena pendência que o clube está trabalhando para resolver", justificou o Cruzeiro em nota enviada ao UOL.

O clube afirmou ainda que o atraso no repasse da bolsa de formação não chegou aos nove meses e que o valor já foi pago ao garoto. Diz também que quando assumiu a gestão da Raposa em junho do ano passado encontrou atrasos nos pagamentos dessas ajudas de custo. E que naquela época precisou colocar tudo em dia.

"Quando a atual gestão assumiu o Cruzeiro Esporte Clube, em junho de 2020, o pagamento das bolsas de formação estava com quase seis meses de atraso. Com muito esforço e trabalho, mesmo em um cenário de pandemia, este débito foi colocado em dia nos meses seguintes", disse em outra parte da nota.

Em relação ao jogador que buscou a CNRD para receber pagamento, o garoto pode deixar o Cruzeiro pois, de acordo com informações de bastidores, há outros clubes interessados, como o Palmeiras, o Flamengo, o Atlético-MG e o Bahia.

"Em relação ao jogador citado, o Clube está tratando do assunto internamente, buscando pela melhor solução. A diretoria continua desenvolvendo um árduo e necessário processo de reformulação e modernização das categorias de base, promovendo uma formação integral, visando o crescimento esportivo e humano dos jovens atletas", finalizou.

Mais problemas na base

O UOL Esporte revelou no começo de maio outra dificuldade na base cruzeirense. A diretoria celeste tinha pendências de duas folhas e meia de salários que não haviam sido pagas aos jogadores do time sub-20. Até o começo deste mês, estavam pendentes o mês de outubro e o 13º do ano passado, além de parte da folha de março deste ano que não havia sido totalmente quitada. Os atletas já faziam cobranças pelo pagamento de abril.

Havia ainda, de acordo com apurações do UOL no começo do mês, uma outra preocupação. Atletas com idade sub-20 que vivem fora da Toca da Raposa 1 —e que aderiram ao "Projeto Moradia e Autonomia"— reclamavam que o pagamento do auxílio-moradia também estava atrasado. O Cruzeiro passou a incentivar neste ano que atletas maiores de 18 anos optassem por morar fora do centro de treinamento, como uma forma de apoiar a formação intelectual, social e humana desses jogadores, de acordo com o próprio clube.

Para isso, instituiu um valor inferior ao salário mínimo como ajuda de custo para que o jogador pague as despesas com aluguel e alimentação fora do CT, por exemplo. Esse projeto tem, de acordo com a diretoria de base da Raposa, chancela da assistente social da base cruzeirense. O atraso de parte do pagamento desse auxílio também foi confirmado pelo Cruzeiro.

O Cruzeiro, em comunicado à reportagem, garantiu que já efetuou os pagamentos do auxílio-moradia que estavam atrasados.

Cruzeiro