PUBLICIDADE
Topo

Gaúcho - 2021

Gre-Nal com DNA ofensivo desafia passado recente e promete muitos gols

Gre-Nal será disputado neste domingo, no Beira-Rio, e abre a final do Gauchão - Pedro H. Tesch/AGIF
Gre-Nal será disputado neste domingo, no Beira-Rio, e abre a final do Gauchão Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

15/05/2021 04h00

Classificação e Jogos

Gre-Nal normalmente não é um jogo de refino técnico. O clássico do Rio Grande do Sul costuma ser pautado por divididas fortes, jogadas ríspidas e confusões quase rotineiras. Mas os trabalhos de Miguel Ángel Ramírez e Tiago Nunes indicam uma quebra de paradigma. Com DNA ofensivo, Inter e Grêmio prometem um clássico de muitos gols.

O Colorado, que joga em casa, se caracterizou por golear rivais. Teve vitórias marcando quatro, cinco, seis gols nesta temporada. No cartel do técnico espanhol há mais goleadas que derrotas.

Ao todo, são 35 gols em 14 partidas com sua comissão técnica no leme. Média de 2,5 gols por jogo.

"No futebol tem muitas informações. Veremos os pontos negativos dele, eles os nossos. É um jogo muito importante para nós e vamos dar tudo em campo para conquistar a vitória", disse o lateral direito Rodinei, responsável por sete assistências pelo Inter.

Uma das principais armas do time vermelho, inclusive, é defeito no rival. A bola aérea ofensiva, exatamente alçada na área pelo lateral, é que costuma causar perigo aos adversários. E o Tricolor ainda não conseguiu encontrar o melhor encaixe de marcação, sofrendo gols por cima. O último, na vitória por 3 a 1 sobre o Lanús.

Já do lado oposto, a ótima fase de Ferreira tem pesado. No último jogo, o atacante marcou duas vezes e deu uma assistência. A exemplo de Rodinei, ele tem sete passes para gols nesta temporada.

"Eu já enfrentei o Everton Cebolinha, o Pepê e o Ferreira. Para mim, é algo normal. O clássico é um jogo diferente, que envolve muita coisa, e ainda é uma final. Vamos ver o que o professor vai nos passar para fazermos um grande jogo", completou o lateral do Inter.

Apesar de o Colorado ter feito mais goleadas, quem abriu margem maior em uma vitória foi o Grêmio. O 8 a 0 sobre o Aragua, da Venezuela, pela Sul-Americana, impulsionou a média gremista. São 20 gols em seis partidas, média de 3,3 por jogo.

A matemática indica o contrário do passado recente. Em nenhum dos últimos 16 Gre-Nais, um time marcou mais de dois gols. Foram 12 gols do Grêmio, sete do Inter, um total de 19, que gera média de 1,1 gol por jogo. Neste período, um quarto dos clássicos terminaram empatados em 0 a 0.

O primeiro jogo da final do Gauchão está marcado para este domingo (16), às 16h (de Brasília), no Beira-Rio.