PUBLICIDADE
Topo

Santos

Diniz pede ao Santos que não perca "quase ninguém" e indica poucos reforços

Andres Rueda, presidente do Santos, na Vila Belmiro - PEDRO ERNESTO GUERRA AZEVEDO
Andres Rueda, presidente do Santos, na Vila Belmiro Imagem: PEDRO ERNESTO GUERRA AZEVEDO

Gabriela Brino

Colaboração para UOL, em Santos

13/05/2021 13h49

O técnico Fernando Diniz ressaltou as perdas significativas de Lucas Veríssimo, Diego Pituca e Soteldo, vendidos, além de Sandry, Sánchez e Jobson, lesionados e ainda em recuperação, em sua coletiva à imprensa nesta manhã. Para que não ocorra novos desfalques no Santos, o treinador revelou um pedido ao presidente Andres Rueda para que o time não perca "ninguém ou quase ninguém" até o fim de seus trabalhos.

Diniz valoriza a base do Santos e dará prioridade aos Meninos da Vila antes de recorrer ao mercado por reforços. Kaiky e Gabriel Pirani, por exemplo, devem ser mantidos no time titular.

"Perdemos jogadores importantes como Veríssimo, Pituca e Soteldo, além de Sandry, Sánchez e Jobson. Conversa com o presidente é de não perder ninguém ou quase ninguém e reforçar pontualmente. Gosto de ver primeiro do que contratar. Não sou de contratar muito. Depois vamos ver quem pode vir para ajudar o Santos. Prefiro trazer poucos e bons do que uma quantidade maior de quem não possa ajudar tanto. Temos que ser criativos e coerentes para acertar nessas contratações", disse.

A diretoria do Santos, em reunião com Fernando Diniz, explicou a situação financeira do clube, que vive momento delicado, e não fará grandes contratações. Pelo contrário, irá investir em reforços pontuais. A lateral esquerda e o meio-campo, por exemplo, devem ter novidades.

As renovações também são estudadas pelo presidente Andres Rueda. Kaio Jorge, com vínculo até o final deste ano, está em processo de renovação de contrato e deve ser vendido. Carlos Sánchez é outro imbróglio para a diretoria, mas deve conseguir concretizar sua manutenção.

Santos