PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Superliga: Uefa abre investigação contra Barcelona, Real Madrid e Juventus

Aleksander Ceferin, presidente da Uefa, já havia citado chance de sanções nos últimos dias - Harold Cunningham - UEFA/UEFA via Getty Images
Aleksander Ceferin, presidente da Uefa, já havia citado chance de sanções nos últimos dias Imagem: Harold Cunningham - UEFA/UEFA via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

12/05/2021 08h43

A Uefa, por meio de seu Comitê Disciplinar, comunicou hoje que abriu uma investigação contra Barcelona, Real Madrid e Juventus.

O motivo da medida se dá por conta da insistência do trio em tentar organizar a Superliga, torneio que seria disputado pela elite do futebol europeu e sem mediação de órgãos como a própria Uefa.

A entidade afirmou que nomeou inspetores para a avaliação de possíveis punições aos três clubes envolvidos - os outros nove organizadores da competição desistiram da ideia.

"De acordo com o artigo 31 (4) dos Regulamentos Disciplinares da Uefa, os inspetores de ética e disciplina da Uefa foram nomeados hoje para conduzir uma investigação disciplinar sobre uma possível violação do quadro jurídico da Uefa pelo Real Madrid CF, FC Barcelona e Juventus FC em relação ao projeto denominado 'Superliga'", diz o texto.

O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, já havia alertado sobre possíveis sanções a equipes insistentes diante do projeto.

O que foi a Superliga?

A Superliga dos grandes clubes da Europa, que propôs a criação de um torneio de 20 clubes, 15 deles fixos e cinco convidados, durou dois dias.

Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madri, Juventus, Inter de Milão, Milan, Arsenal, Chelsea, Manchester City, Manchester United, Liverpool e Tottenham fundaram a iniciativa em um domingo à noite.

Na segunda-feira, começaram os protestos de imprensa, torcedores e jogadores. Na terça-feira, os seis ingleses pularam do barco -os italianos e o Atlético de Madri fizeram o mesmo no dia seguinte.

O que levou a Superliga a ruir foi a pressão da opinião pública contra clubes retratados como "gananciosos que não se importam com o esporte" —afinal, o torneio propunha que 15 clubes teriam lugar cativo no torneio mais importante do planeta sem risco de rebaixamento e sem critérios para os clubes convidados.

Futebol