PUBLICIDADE
Topo

Santos

Fernandes vê expulsão de Diniz injusta no Santos: "Não participou de nada"

Fernando Diniz, novo técnico do Santos, durante partida contra o Boca Juniors na Vila Belmiro - JOTA ERRE/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO
Fernando Diniz, novo técnico do Santos, durante partida contra o Boca Juniors na Vila Belmiro Imagem: JOTA ERRE/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Gabriela Brino

Colaboração para UOL, em Santos

11/05/2021 22h42

O Santos venceu por 1 a 0 o Boca Juniors nesta noite, na Vila Belmiro, pela Copa Libertadores da América. Mas, apesar do alívio do resultado, o clima no estádio foi um pouco conturbado. O técnico Fernando Diniz acabou expulso em sua estreia pelo Peixe em meio a uma discussão generalizada.

O árbitro Christian Ferreyra amarelou Lucas Braga em um lance que ele não participou. Na sequência o atacante se justificou, tentando invalidar o cartão e viu o banco de reservas do Boca apontar para Jean Mota, que já estava amarelado. Na verdade, Kaio Jorge deveria receber o cartão. Em meio à confusão, Diniz tentava fazer uma substituição. Madson também protestou pela demora para o jogo seguir. No fim das contas, o técnico foi expulso.

O auxiliar-técnico Marcelo Fernandes assumiu a equipe e, em coletiva à imprensa, defendeu o treinador e viu a penalização como injusta. Ele enfatizou que o treinador, inclusive, não teria participado do entrevero. No entanto, foi possível ver o comandante bem irritado com a situação.

"Vou até constatar uma coisa aqui, o Diniz foi expulso injustamente, não participou de nada na confusão. O árbitro expulsou os dois treinadores. A confusão se deu porque um reserva deles falou que o amarelo era para o 41, que era o Jean Mota, que tinha amarelo. O Diniz não teve nada. Ele ficou com o rádio lá em cima, a gente lá embaixo sempre em contato com o Edu, seu auxiliar. Procuramos passar o que ele falava lá de cima, a gente enxergava também, nos deixou à vontade, chegou com uma vontade muito grande e quem ganha com isso é o Santos", disse Marcelo Fernandes.

"Não foi nem a preleção. Desde que o Diniz chegou na segunda, já deixou o grupo muito confiante. É um cara positivo, deu muita moral para a molecada, foi de grande valia a chegada dele. A preleção foi muito para cima, todos assimilaram aqui, esses atletas são nota mil, só temos a ganhar com eles e com a chegada do Diniz", acrescentou.

A vitória colocou o Santos em segundo colocado no grupo C da Libertadores, com seis pontos, empatados com os argentinos.

Santos