PUBLICIDADE
Topo

Inglês - 2020/2021

Inglês: Chelsea vence City de virada em final antecipada da Champions

Marcos Alonso e Timo Werner comemoram o gol da vitória do Chelsea, já nos acréscimos - LAURENCE GRIFFITHS/Pool via REUTERS
Marcos Alonso e Timo Werner comemoram o gol da vitória do Chelsea, já nos acréscimos Imagem: LAURENCE GRIFFITHS/Pool via REUTERS

Do UOL, em São Paulo

08/05/2021 15h26

Classificação e Jogos

A final da Liga dos Campeões promete. Em um jogo equilibrado, o Chelsea venceu o Manchester City de virada por 2 a 1. O placar entre os dois finalistas do torneio continental adiou a conquista do Campeonato Inglês de forma antecipada para os Citizens, que pouparam alguns dos principais jogadores do elenco. Sterling marcou o gol para o City, enquanto Ziyech e Alonso fizeram para o Chelsea.

O City lidera o torneio com 13 pontos de vantagem sobre o rival Manchester United, segundo colocado. Se os Red Devils não vencerem o Aston Villa amanhã (9) às 10h, o título vai para o Ettihad Stadium ainda neste final de semana, mesmo.

A despeito do revés, do lado da equipe dirigida por Pep Guardiola, fica o destaque positivo para a participação de Gabriel Jesus, que foi titular ao lado de Aguero e foi a figura mais lúcida e participativa no sistema ofensivo da equipe.

Próximos compromissos

Na quarta-feira, o Chelsea recebe o Arsenal em Londres às 16h15 (horário de Brasília). O time, que é o terceiro colocado no Inglês, briga pela classificação direta para a próxima edição da Liga dos Campeões, para não depender de um novo triunfo sobre o oponente de Manchester na final deste ano. Em temporada movimentada, a equipe londrina ainda decide a Copa da Inglaterra contra o Leicester no sábado (15).

Já o Manchester City enfrenta o Newcastle, na sexta-feira (14), às 16h, fora de casa.

Primeiro tempo truncado

As duas equipes marcaram muito bem a saída de bola adversária, dificultando muito as infiltrações e armação de jogadas — registrando que um dos principais meio-campistas do futebol mundial, o belga De Bruyne, não foi relacionado nem mesmo para o banco do City.

De chances de gol nos primeiros 20 minutos, foram poucas. Só no terço final, que o cenário mudou, e o jogo ganhou em emoção. Aos 30 minutos, o alemão Timo Werner, centroavante do Chelsea, conseguiu ficar livre dentro da área desviou um chute de Reece James direto para o gol, mas o árbitro marcou o impedimento.

Sterling respondeu em seguida, descendo em velocidade pela esqueda e finalizando com força na entrada da área, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Nos minutos finais, Gabriel Jesus recuperou a bola em uma falha bizarra de Christensen no campo de defesa e tocou para o meio. Agüero chegava livre para finalizar, mas dominou mal, e Sterling chegou a tempo para completar para as redes.

O City teve um penalti aos 45 minutos após Gabriel Jesus ser derrubado dentro da área, mas, na cobrança, Aguero decepcionou. O argentino tentou a cavadinha ouada, mas Mendy não caiu na dele e, plantado no meio do gol, fez a defesa com tranquilidade, para desespero de Guardiola na área técnica.

Chelsea cresce na segunda etapa

Os Blues voltaram com o propósito de pressionar o City na busca pelo empate. Aos 17, desta vez em falha do City, o Chelsea deixou tudo igual com Hakim Ziyech. Rodri foi desarmado por Pulisic. O norte-americano acelerou o jogo na direita e encontrou o armador no meio de campo. Ziyech dominou na entrada da área e bateu rasteiro, no cantinho esquerdo do goleiro Ederson, sem chances para a defesa.

Irritadíssimo com o gol, Guardiola lançou mão de Phil Foden e Gündogan, que estavam no banco de reservas, para segurar a pressão do time londrino. No primeiro lance da dupla em campo, o camisa 47 bateu escanteio dentro da área, e o alemão finalizou para fora. Gabriel Jesus ainda arrancou em velocidade pela direita e arriscou o chute cruzado, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Em seguida, o Chelsea teve dois gols anulados. Um de Timo Werner, que recebeu nas costas da defesa e escapou de Ederson, mas em posição irregular. A arbitragem precisou da revisão de vídeo para anular a finalização de Odoi, que recebeu de Pulisic na direita e finalizou dentro da pequena área.

No finalzinho, os jogadores do City se desesperaram com um pedido de pênalti de Sterling. O jogador recebeu mais uma vez nas costas da defesa, esperou o contato de Zouma e caiu dentro da área, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

E aí veio a virada do Chelsea. O ala Marcos Alonso perdeu uma chance incrível de virar ao arrancar na esquerda e sair cara a cara com Ederson. O jogador bateu encobrindo o goleiro, que se esticou para tocar com a ponta dos dedos e mandar para fora. Na segunda oportunidade que teve, ele não desperdiçou: recebeu de Werner dentro da grande área e, na marca do pênalti, se antecipou à marcação e bateu de primeira, tirando Ederson do lance.