PUBLICIDADE
Topo

Santos

Conversa com Rueda foi chave para Fernando Diniz fechar com Santos

Andrés Rueda, presidente do Santos, fez uma live para detalhar seus primeiros 100 dias de gestão - Reprodução/YouTube
Andrés Rueda, presidente do Santos, fez uma live para detalhar seus primeiros 100 dias de gestão Imagem: Reprodução/YouTube

Gabriela Brino

Colaboração para UOL, em Santos

07/05/2021 04h00

Classificação e Jogos

Quase duas semanas depois de perder Ariel Holan, o Santos contratou Fernando Diniz como seu substituto. Além da vontade de voltar a treinar um clube grande, o técnico levou em conta o que ouviu em sua conversa com o presidente Andrés Rueda para aceitar o cargo.

Diniz gostou muito da segurança e confiança que o cartola passou durante a negociação e se sentiu confortável em retomar a carreira no alvinegro, depois dos altos e baixos vividos no São Paulo. O presidente foi bastante transparente sobre a situação financeira do clube, apresentou o projeto esportivo e citou os planos para reforços, com prioridade para empréstimos.

A promessa feita por um executivo de futebol foi outro ponto que tranquilizou o treinador. Ele crê que o profissional será fundamental para trazer respaldo para o departamento de futebol, sobretudo na busca por reforços. Alguns nomes já foram debatidos entre as partes.

Diniz e seus representantes toparam um contrato sem multa rescisório. O treinador se mostrou animado com os desafios no Santos e não se importou com a ausência da cláusula, mas optou por um período mais curto com a possibilidade de renovar por mais uma temporada. Isso também ocorreu no São Paulo e Athletico-PR.

O técnico já estuda o elenco do Santos, em especial os atletas mais jovens. A defesa, por exemplo, não deve ter novidades, e o garoto Kaiky deve ser mantido. Segundo apurou o UOL Esporte, o treinador se identificou com o estilo do zagueiro e deve mantê-lo titular ao lado de Luan Peres.

Diniz terá um grande desafio à frente do time alvinegro, que volta a campo no domingo, diante do São Bento, correndo risco de ser rebaixado para a Série A2 do Campeonato Paulista pela primeira vez em sua história.

Santos