PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Salário atrasado irrita, e jogadores da base cobram pagamento no Cruzeiro

A Toca da Raposa I, agora Centro de Formação Felício Brandi, é a casa das categorias de base do Cruzeiro - Divulgação/Cruzeiro
A Toca da Raposa I, agora Centro de Formação Felício Brandi, é a casa das categorias de base do Cruzeiro Imagem: Divulgação/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

05/05/2021 04h00Atualizada em 05/05/2021 09h19

Os atrasos salariais no Cruzeiro ainda incomodam nos bastidores do clube, com funcionários e jogadores tendo problemas para planejar o pagamento de compromissos pessoais. Depois da dificuldade da diretoria celeste para pagar a folha de março aos colaboradores do setor administrativo, a base também sofre com atraso e a ausência de informações sobre a data do recebimento.

Segundo apurou o UOL Esporte, são duas folhas e meia de salários que não foram pagos aos jogadores do time sub-20 da Raposa, que já cobraram da diretoria o cumprimento da responsabilidade básica: pagar o que ficou pendente do mês de outubro e do 13º do ano passado e de parte da folha de março deste ano que não foi totalmente quitada. Um grupo de jogadores, ainda conforme dito à reportagem, questionou se o salário de abril, que vencerá nesta sexta-feira (7), será pago em dia.

O clube confirmou os atrasos salariais, não deu prazo específico para quitá-los, mas disse que tentará finalizar as pendências o mais rápido possível.

"Assim como já divulgado em nota oficial do clube, a instituição confirma atrasos financeiros, situação que atinge quase todos os times de futebol do país neste momento de pandemia, e busca o mais rápido possível quitar as pendências, estando em contato direto com os colaboradores", disse em resposta ao UOL.

A irritação por parte dos atletas acontece pela falta de informações da diretoria de base. Conforme dito pela fonte, os dirigentes prometeram não atrasar os pagamentos em 2021.

O não pagamento de salário tem alterado a vida pessoal dos atletas, muitos desses com responsabilidades em suas famílias, o que tem causado preocupação.

Há ainda, de acordo com apurações do UOL, uma outra preocupação. Atletas com idade sub-20 que vivem fora da Toca da Raposa 1 —e que aderiram ao "Projeto Moradia e Autonomia"— reclamam que o pagamento do auxílio-moradia também tem atrasado.

O Cruzeiro passou a incentivar neste ano que atletas maiores de 18 anos optassem por morar fora do centro de treinamento, como uma forma de apoiar a formação intelectual, social e humana dos atletas, de acordo com o próprio clube. Para isso, instituiu um valor inferior ao salário mínimo como ajuda de custo para que o jogador pague as despesas com aluguel e alimentação fora do CT, por exemplo. Esse projeto tem, de acordo com a diretoria de base da Raposa, chancela da assistente social da base cruzeirense.

O atraso de parte do pagamento desse auxílio também foi confirmado pelo Cruzeiro. "Sobre o pagamento do auxílio-moradia, o clube confirma que uma parte foi paga e o restante será quitado em breve. Elaborado há três meses pelo setor psicossociopedagógico, o projeto Moradia e Autonomia, que incentiva e auxilia atletas maiores de 18 anos a morarem fora do centro de treinamentos cinco estrelas, é uma iniciativa desenvolvida pelo clube para trabalhar o lado humano e social dos atletas. O atleta que participa do projeto recebe, além de uma ajuda financeira, todo apoio do serviço social e de psicologia do Cruzeiro", explicou.

Mesmo com o salário atrasado na base, o Cruzeiro tem anunciado jogadores para o time sub-20. Foram contratados neste ano o lateral direito Ramon Rocha, o zagueiro Matheus Vieira, os volantes Andrey, Breno e Caíque, os meias Victor Diniz, Vitor Neves e Yohane e os atacantes Paulinho, Vitor Leque e Daniel Melo.

A reportagem do UOL fez outros questionamentos ao Cruzeiro sobre a política de contratações mesmo sem honrar compromissos básicos — pagamento de salários — e se os atletas que têm chegado ao clube são informados dos atrasos salariais antes de assinar contrato.

Leia as respostas para os outros questionamentos

Sobre a política de contratações e pagamentos salariais. Como o clube tem ajustado a contratação de novos atletas — alguns nomes foram anunciados recentemente — mesmo sem conseguir pagar as obrigações com aqueles que já fazem parte do elenco?

O Clube não investiu em valores de compras de direito de nenhum atleta contratado para as categorias de base. Todos que chegaram estão dentro de uma política salarial bem definida e dentro da realidade que o Cruzeiro vive hoje.

Os novos atletas contratados chegam ao clube sabendo por integrantes da diretoria sobre a realidade de salários atrasados? Ou essa informação os jogadores conseguem apenas pela imprensa?

A questão financeira do Cruzeiro nunca foi segredo e recentemente foi feita uma comunicação oficial reconhecendo as pendências. O balanço do Clube também é um documento público. Todos os parceiros que possuem atletas no Cruzeiro sabem da atual situação e do esforço da direção para regularizar todas as questões o quanto antes.

Cruzeiro