PUBLICIDADE
Topo

Paulista - 2021

'Abafa' no Majestoso é marca de resistência do Corinthians na era Mancini

Volante Roni comemora dividida ganha contra um jogador do São Paulo  - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Volante Roni comemora dividida ganha contra um jogador do São Paulo Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

04/05/2021 04h00

Classificação e Jogos

A marca do Corinthians no Majestoso do último domingo (2) foi a entrega da equipe dentro de campo, aspecto elogiado pelo técnico Vagner Mancini na coletiva de imprensa. No clássico, o Timão conseguiu 18 desarmes e estabeleceu seu segundo melhor número nesta estatística na temporada. Não é a primeira vez que a equipe alcança este nível de rendimento diante de adversários com características de saída de bola controlada.

Desde a chegada de Vagner Mancini ao Corinthians, em outubro do ano passado, o time conseguiu bons números em desarmes em outras cinco oportunidades. As melhores marcas foram contra o São Paulo comandado por Fernando Diniz, no segundo turno do Brasileirão do ano passado, e diante do Internacional, no Beira-Rio, na partida que valia o título nacional aos colorados. Em ambas as partidas, o Timão fez 22 desarmes.

Na sequência, aparecem os jogos contra o Grêmio de Renato Gaúcho, também pelo segundo turno do Brasileirão 2020, e a derrota para o Red Bull Bragantino, em Itaquera, por 2 a 0. Nesses dois encontros foram 21 desarmes. Por fim, de novo contra a equipe de Bragança Paulista, agora pelo Campeonato Paulista desta temporada, o Corinthians desarmou em 20 oportunidades.

Em comum, as quatro equipes citadas têm como características de jogo a posse de bola e o zelo pela qualidade técnica. Justamente contra esse tipo de adversário é que o Corinthians de Vagner Mancini tem mais facilidade em exercer um jogo de marcação e utilizar os desarmes a seu favor. Ao fim do Majestoso, o tema foi ressaltado pelo volante Gabriel na saída de campo e depois reforçado pelo treinador.

Embora ainda esteja balançando no cargo e parte da torcida esteja insatisfeita com seu trabalho no Corinthians, Mancini conseguiu implementar a marca no elenco — sobretudo em partidas em que o Timão entra como azarão.

Já em confrontos em que cabe ao Alvinegro a função de atacar, como aconteceu semana passada diante do Peñarol a equipe apresenta dificuldades para desenvolver seu jogo.