PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Incerteza sobre futuro motivou ato de Guerrero; Inter não abre mão de multa

Paolo Guerrero pediu rescisão de contrato com Inter, diz empresário do jogador - Ricardo Duarte/Inter
Paolo Guerrero pediu rescisão de contrato com Inter, diz empresário do jogador Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

03/05/2021 11h31

O representante de Paolo Guerrero afirmou, no fim de semana, que o o jogador pretende rescindir com Inter. Em nota, o estafe do atleta revelou descontentamento na relação com o clube. Segundo apurou o UOL Esporte, o motivo para a tentativa de rompimento foi a incerteza sobre o futuro do centroavante. O Colorado, por sua vez, não irá simplesmente aceitar a saída.

Guerrero tem vínculo com Inter até o fim deste ano. Dentro de 27 dias, já poderá assinar um pré-contrato para transferência após o fim do período na capital gaúcha. E a incerteza sobre o futuro foi estopim para tudo que aconteceu no fim de semana.

O empresário do atleta, Vinícius Prates, não tinha sido procurado para renovação de vínculo. A falta de definição sobre a sequência no Beira-Rio, combinada com o rodízio de atacantes proposto pelo comando técnico gerou o desconforto do peruano.

Aos 37 anos, Paolo é um jogador de renome. Capitão da seleção de seu país, presente na última Copa do Mundo, vice-campeão da última Copa América, competição da qual foi artilheiro ao lado de Everton Cebolinha, entre tantos feitos na carreira. Por isso, não faltam clubes interessados na contratação dele, e antecipar a saída seria uma alternativa para acabar com tal cenário incerto.

Por outro lado, o presidente do Inter, Alessandro Barcellos, disse publicamente, em março, que queria renovar com Guerrero, e até que ele encerrasse a carreira no clube gaúcho. Algo que, depois do pedido público de rescisão, dificilmente acontecerá.

A direção do Colorado foi pega de surpresa com a manifestação e programou conversa com o jogador para os próximos dias. Quer ouvir de Guerrero sua insatisfação, procurar uma alternativa que solucione o problema.

"De modo algum. Não houve falta de respeito em momento algum. Sempre houve respeito, educação, cumprimento de contrato. Diariamente a gente conversa, convive em ambiente saudável. Nos surpreendeu a manifestação do empresário", disse o executivo de futebol Paulo Bracks.

Mas, de acordo com apuração da reportagem, o Inter não irá aceitar a saída sem que receba a multa rescisória. O valor de 2,5 milhões de dólares (R$ 13,5 milhões na cotação atual) pode até ser negociado, mas não está sob análise simplesmente abrir mão do ressarcimento.

"Não posso responder pelo atleta, se há insatisfação. Reitero que houve certa surpresa da nossa parte. Nós não ouvimos isso do Paolo, nós lemos isto do empresário. E o empresário que tem histórico de relação com o Inter. E não houve nenhum tipo de pedido, formalização, para rescindir contrato. E se ele realmente for interesse do empregado de rescindir, ele sabe o caminho a seguir. A partir de amanhã (hoje) vamos tratar disso com tranquilidade e respeito", completou.

Internacional