PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Na Série A, Juventude fez do Inter freguês e foi até campeão no Beira-Rio

Imagem de duelo entre Juventude e Internacional pelo Brasileirão de 2007 - Fredy Vieira/Folha Imagem
Imagem de duelo entre Juventude e Internacional pelo Brasileirão de 2007 Imagem: Fredy Vieira/Folha Imagem

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

01/05/2021 04h00

Classificação e Jogos

Os torcedores mais jovens provavelmente não se recordam, mas enfrentar o Juventude já foi tarefa árdua para o Internacional. Quando esteve na Série A do Brasileirão, o time da Serra Gaúcha, que encara o Colorado na semifinal do Gauchão, amanhã (2), em Bento Gonçalves, empilhou vitórias, feitos, fez da equipe da capital "freguês" e ergueu taça no Beira-Rio.

O último e mais longo período do Juventude a Série A durou de 1995 até 2007. Pela elite do futebol foram 18 partidas neste recorte, com nove vitórias do time de Caxias do Sul, três empates e seis do Inter. Ou seja, aproveitamento da equipe alviverde foi superior ao adversário.

Até mesmo no ano em que foi rebaixado o Juventude venceu o Inter. Em 2007, fez 2 a 0 no Jaconi e perdeu por 3 a 0 no Beira-Rio. Em 2021, o duelo voltará a acontecer na elite do futebol nacional, já que o Ju conquistou vaga.

Campeão Gaúcho sobre o Inter

Jogadores do Juventude comemoram título do Campeonato Gaúcho de 1998 - Divulgação/Juventude - Divulgação/Juventude
Imagem: Divulgação/Juventude

E não era apenas no Brasileirão que o Juventude levava vantagem sobre o Inter. A "touca verde" — como era chamada a supremacia da equipe da Serra — se estendia para o Campeonato Gaúcho.

Em 1998, por exemplo, foi o Ju que ergueu a taça. Com uma parceria firme com a Parmalat e investimento considerável no futebol, a equipe não perdeu uma vez sequer naquela edição do Estadual. Na final, venceu o Inter no Alfredo Jaconi por 3 a 1 e segurou empate em 0 a 0 no Beira-Rio para erguer a taça na casa vermelha.

"Para uma equipe do interior conseguir o que conseguimos naquela época era muito difícil. Quase ninguém acreditava nisso. Todo mundo esperava que o Inter revertesse no Beira-Rio", contou o ex-meia Lauro ao jornal Correio do Povo, anos mais tarde.

Com o título, o Juventude quebrou uma marca. Desde 1954 que um time diferente de Inter e Grêmio não levava o Gauchão.

Goleada na Copa do Brasil

Em sua trajetória de Série A, o Juventude não se limitou a superar o Inter no Estadual ou ter mais vitórias do que o Colorado pelo Brasileiro. Talvez o maior feito na rivalidade "Juve-Nal" foi a Copa do Brasil de 1999.

Era fase semifinal. O Inter tinha segurado empate sem gols em Caxias do Sul e dependia do resultado no Beira-Rio para avançar. Mas o Ju foi mais forte. O time já tinha eliminado Fluminense e Corinthians na competição e não tomou conhecimento do Colorado.

Com estádio cheio, o placar foi esmagador. Um 4 a 0, gols de Marcos Teixeira, Mabília, Capone e Márcio. Um ano depois de ser campeão no Beira-Rio, o Alviverde goleou, eliminou o Colorado e consolidou supremacia.

Na final daquela competição, o Ju conquistou seu maior título até hoje. No Maracanã, com mais de 100 mil pessoas, segurou um 0 a 0 e ergueu a taça da Copa do Brasil.

A "touca" do Juventude sobre o Inter teve fim adiante. A partir de 2008 o jogo virou, com goleadas e feitos do Colorado. Mas, então, o Ju já não fazia mais parte da Série A, como volta a fazer só neste ano.

Internacional