PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Guto Ferreira diz que vento atrapalhou jogadas: "Gerou desequilíbrio"

Guto Ferreira durante entrevista à imprensa na noite de sábado - TV Vozão/Reprodução Youtube
Guto Ferreira durante entrevista à imprensa na noite de sábado Imagem: TV Vozão/Reprodução Youtube

Bruno Fernandes e Josué Seixas

Colaboração para o UOL, me Maceió

01/05/2021 20h05

Classificação e Jogos

O vento foi um adversário a mais do Ceará durante a vitória de hoje (1º), no Estádio Pituaçu, sobre o Bahia (1 a 0), pelo primeiro jogo da final da Copa do Nordeste. Guto Ferreira, técnico do Vozão, disse que o vento evitou que o jogo pudesse se desenvolver, mas não impediu que fosse competitivo.

Embora durante os primeiros minutos de jogo a chuva tenha atrapalhado ambas as equipes, principalmente no meio de campo, onde se formou uma poça d´água, o vento foi o que mais atrapalhou as jogadas da equipe, segundo a avaliação do treinador.

"Não foi o gramado, foi o vento, muito vento. Como estava soprando de um lado só, ele descaracterizava a partida e gerava um desequilíbrio. Um tocava na bola e ela corria mais e o outro tocava e ela corria menos", avaliou o treinador.

Além de domínio e da precisão do passe, os jogadores precisavam ficar atentos na força do vento e como ele estava se comportando no momento do toque na bola. "Tinha que ver para onde a bola ia e isso atrapalhou bastante para um jogo com uma qualidade maior".

No próximo sábado (8), as equipes voltam a campo na Arena Castelão pelo segundo jogo da final, também às 16h. Antes disso, o Ceará viaja para enfrentar o Bolívar, na Bolívia, pela Sul-Americana, na quarta-feira (5) e o desgaste físico da viagem além da altitude da Bolívia, de 3,6 mil metros preocupam o técnico.

"Estamos buscando uma estratégia para diminuir o desgaste e que possa fazer com que o Ceará possa cumprir os dois compromissos da melhor maneira possível", concluiu.

Futebol