PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Copa do Nordeste: 56% dos times trocaram de treinadores na competição

Jair Ventura foi demitido do Sport após sequência negativa -                                 ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Jair Ventura foi demitido do Sport após sequência negativa Imagem: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM

Bruno Fernandes e Josué Seixas

Colaboração para o UOL, em Maceió

29/04/2021 12h52

A edição 2021 da Copa do Nordeste se aproxima do seu final neste sábado (1º) com um rastro de troca-troca de técnicos pelo caminho. Ao todo, 56% dos treinadores que iniciaram a campanha na Lampions deste ano não conseguiram chegar ao fim do contrato, com demissões por resultados abaixo do esperado ou por pedidos deles próprios para deixar o cargo diante de propostas de outros clubes.

Sampaio Corrêa, Santa Cruz, Sport, Salgueiro, Fortaleza, Altos, CSA, ABC e Botafogo-PB foram as equipes que trocaram as comissões técnicas no curso da competição. A eliminação ainda na fase de grupos foi o que mais pesou em metade das equipes mencionadas.

Cenário diferente apresenta o Ceará, que disputará contra o Bahia, sob o comando do técnico Guto Ferreira, que está no cargo desde março de 2020. O Esquadrão de Aço é outro que passou ileso pela onda de demissões nesta temporada e mantém Dado Cavalcanti desde dezembro do ano passado. As duas equipes também são as representantes nordestinas na Copa Sul-Americana.

A história muda entre os times pernambucanos. Sport e o Santa Cruz tiveram a pior campanha do Estado na história da Copa, não conseguiram passar da fase de grupos e nem manter seus técnicos. Jair Ventura, ex-comandante do Sport, não resistiu à pressão depois de um início conturbado na temporada 2021 e uma goleada por 4 a 0 sofrida diante do Ceará ainda na fase de grupos da competição. Ele foi substituído por Umberto Louzer, ex-treinador da Chapecoense, no dia 18 de abril.

A situação do Santa Cruz é ainda mais delicada. A Cobra Coral teve três técnicos em menos de um mês. João Brigatti foi o responsável por comandar a equipe durante a Copa do Nordeste. Após a eliminação na fase de grupos, o time ficou sob o comando de Alexandre Gallo, que se demitiu depois de 14 dias. Atualmente, o ex-zagueiro Bolívia e agora técnico está à frente da equipe.

Único representante do Maranhão na competição, o Sampaio Corrêa começou o Nordestão com o técnico Rafael Guanaes, mas ele foi demitido há sete dias em comum acordo com a diretoria. O novo comandante, o português Daniel Neri, foi anunciado na tarde desta quinta-feira (29). Ele pediu demissão do Salgueiro, que também deixou o Nordestão ainda na fase de grupos para assumir a Bolívia Querida.

Outro time que não manteve o treinador foi o Botafogo-PB. Marcelo Vilar deixou a equipe após quatro empates e duas derrotas em seis partidas do Nordestão. A demissão aconteceu após derrota para o Treze no Clássico do Campeonato Paraibano.

No Piauí, o treinador Fernando Tonet, que conquistou o acesso à Série D com o Altos, entrou em acordo com a diretoria do clube piauiense no dia 20 de abril e anunciou sua saída do Jacaré. Em Alagoas, após Mozart Santos, do Azulão, deixar o cargo para assumir a Chapecoense na Série A deste ano, Bruno Pivetti, até então no Tombense, pediu demissão e assumiu a equipe alagoana no restante da temporada de 2021.

O ABC, do Rio Grande do Norte, demitiu o técnico Sílvio Criciúma após a derrota por 4 a 2 para o Potiguar de Mossoró, no Frasqueirão, pelo Campeonato Potiguar. A eliminação ainda na fase de grupos da Copa do Nordeste também pesou na sua demissão.

Da lista de oito clubes, o Fortaleza é o único que ainda não tem um técnico definido após a demissão de Enderson Moreira, depois da derrota para o Bahia pela semifinal da Copa do Nordeste. Antônio Carlos Zago (ex-Kashima Antlers), Fernando Diniz (ex-São Paulo) e Jair Ventura (ex-Sport) chegaram a ser cogitados, mas nenhum contrato chegou a ser firmado, e a equipe, que vai disputar a Série A deste ano e atualmente está no Campeonato Cearense, ainda não tem previsão para anunciar seu novo comandante.

Futebol