PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Vencer e convencer: Atlético-MG faz 2º jogo na Libertadores já pressionado

Equipe mineira quer vitória para amenizar o ambiente interno e ter tranquilidade na sequência de jogos - Divulgação/Mineirão
Equipe mineira quer vitória para amenizar o ambiente interno e ter tranquilidade na sequência de jogos Imagem: Divulgação/Mineirão

Leonardo Parrela

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

27/04/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Atlético-MG entra em campo pela Copa Libertadores, nesta terça-feira (27), com um ambiente bem movimentado. Uma vitória, ou uma boa atuação, diante do América de Cali-COL, no Mineirão, poderiam ajudar a amenizar o clima na Cidade do Galo. Se o time conseguir ambos, vencer com brilho, melhor ainda. A partida, válida pela segunda rodada do grupo H da Libertadores, acontece às 19h15.

As atuações diante de Cruzeiro (derrota por 1 a 0), Boa Esporte (vitória por 2 a 1) e Deportivo La Guaira-VEN (empate por 1 a 1), com o time considerado principal, não convenceram parte da torcida alvinegra. Os próprios atletas já falaram, em entrevista, que o Galo vem jogando abaixo do que pode render.

Já existia esse incômodo em relação ao que o Atlético vinha apresentado dentro de campo, mas a situação piorou desde o tropeço na estreia pela Libertadores. O treinador Cuca havia estimado que seu time já teria uma identidade e estaria pronto para mostrar futebol em Caracas. Não aconteceu, e agora a margem de manobra fica mais apertada para a equipe, conciliando a pressão da Libertadores com a fase final do Mineiro e as elevadas expectativas em torno de um elenco caríssimo.

"A cobrança é normal, nós jogadores temos que estar prontos e preparados para isso. A gente tem a responsabilidade, o investimento que foi feito aqui. Não podemos, por ter essa responsabilidade, perder a alegria de jogar futebol. Temos que saber lidar com essa pressão para levar o Galo ao lugar que merece, que é ganhar títulos", afirmou o zagueiro Igor Rabello, em coletiva ontem (26),

E o zagueiro atleticano entende o caráter decisivo do jogo, mesmo sendo a segunda rodada. "Sabemos que classificar em primeiro tem a vantagem de decidir em casa nas outras fases, então é isso que a gente busca. Lá na Venezuela não foi um jogo tão bom, porque sabemos que podíamos vencer o jogo, mas também não foi ruim, porque é um empate fora de casa", analisou.

A questão Hulk

Após a vitória por 1 a 0, diante do Athletic, Hulk reclamou publicamente da falta de sequência, reconhecendo que não tem feito boas atuações. Cuca, em coletiva após a partida, disse que dá mais minutos em campo quando tiver "o jogador te dando todo o respaldo". Ainda em coletiva esclareceu que não é que "ele (Hulk) não esteja dando o respaldo", mas que existe uma disputa muito grande e que tenta ser coerente em suas escolhas.

Na manhã do domingo (25), o experiente atacante atleticano fez questão de usar suas redes sociais para colocar panos quentes na situação. Ressaltou que respeita muito o treinador.

Igor Rabello também tratou de amenizar o acontecido do final de semana. "Entrevista pós-jogo, no calor e na emoção do jogo, talvez o Hulk tenha se expressado mal na hora", disse. "Ele já até se explicou, que não tem nada contra o Cuca, temos uma família aqui dentro. Está resolvido, um capítulo que já passou", finalizou. Rabelo também normalizou as cobranças da torcida e disse que, como profissionais, precisam estar preparados para isso.

Esse é um dos elementos que compõe um cenário já perigoso para o Galo às vésperas do confronto com os colombianos. A vitória, junto de uma boa atuação, ajudaria a afastar o clima incômodo e deixaria o elenco mais tranquilo para a sequência da temporada. O jogo está cercado de expectativas, desde a escalação para saber se Hulk será titular, até o que será praticado em 90 minutos. A expectativa é que a equipe vença e convença.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG X AMÉRICA DE CALI

Motivo: 2ª rodada do Grupo H da Copa Libertadores
Data e Horário: 27 de abril de 2021, às 19h15 (de Brasília)
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG).
Árbitro: Daniel Fedorczuk (Uruguai)
Assistentes: Richard Trinidad e Martin Soppi (ambos uruguaios)

ATLÉTICO-MG: Everson; Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan, Tchê Tchê (Zaracho) e Nacho Fernández; Savarino (Hulk), Keno e Eduardo Vargas. Técnico: Cuca.

AMÉRICA DE CALI: Graterol; Cabezas, Quiñones, Piracún e Arrieta; Ureña, Mosquera, Carrascal; Moreno, Vergana, Abonia. Técnico: Juan Cruz Real.

Atlético-MG